fbpx

Entidades e instituições criticam samba-enredo que culpa agronegócio por desmatamento

A Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense, do Rio de Janeiro, gera polêmica por meio de seu samba-enredo no qual atribui ao agronegócio a responsabilidade pelo desmatamento e agressão à fauna e à flora do Brasil.

A crítica da escola de samba, que também afeta o setor sucroenergético, obtém posicionamentos de entidades e instituições do agronegócio.

“A menção [da escola] revela total desconhecimento da legislação em vigor, das práticas agrícolas e do papel relevante do agronegócio na economia nacional”, afirma Pedro Estevão Bastos, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA) da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

“Essa citação é desrespeitosa com os agricultores que trabalham para alimentar o Brasil e as centenas de países que exportamos nossos excedentes agrícolas”, acrescenta o presidente executivo da Abimaq, José Velloso.

Para o presidente do Conselho de Administração da Abimaq, João Carlos Marchesan, a agricultura é um dos setores que mais gera emprego e riqueza para o país.

Indignação

“A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu [ABCZ] repudia, com indignação e veemência o samba-enredo e as demais peças publicitárias divulgados pela escola Imperatriz Leopoldinense para o desfile de Carnaval de 2017. Ao criticar duramente o agronegócio, o grupo mostra total despreparo e ignorância quanto à história brasileira e à realidade econômica e social do país”, diz, em nota oficial publicada em seu site, a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu.

Outra entidade contrária ao samba-enredo é a Sociedade Rural Brasileira (SRB). “O objetivo da entidade é proteger o setor perante o público em caso de um ataque à imagem à atividade rural e aos proprietários de terra”, diz, em mensagem, o presidente Gustavo Diniz Junqueira.

Samba-enredo da Imperatriz:

Compositores: Moisés Santiago, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna
Participação especial: David Assayag
Intérpretes: Tinga, Celino Dias, Tuninho Júnior e Tinguinha

BRILHOU… A COROA NA LUZ DO LUAR!
NOS TRONCOS A ETERNIDADE… A REZA E A MAGIA DO PAJÉ!
NA ALDEIA COM FLAUTAS E MARACÁS
KUARUP É FESTA, LOUVOR EM RITUAIS
NA FLORESTA… HARMONIA, A VIDA A BROTAR
SINFONIA DE CORES E CANTOS NO AR
O PARAÍSO FEZ AQUI O SEU LUGAR
JARDIM SAGRADO O CARAÍBA DESCOBRIU
SANGRA O CORAÇÃO DO MEU BRASIL
O BELO MONSTRO ROUBA AS TERRAS DOS SEUS FILHOS
DEVORA AS MATAS E SECA OS RIOS
TANTA RIQUEZA QUE A COBIÇA DESTRUIU

SOU O FILHO ESQUECIDO DO MUNDO
MINHA COR É VERMELHA DE DOR
O MEU CANTO É BRAVO E FORTE
MAS É HINO DE PAZ E AMOR
SOU GUERREIRO IMORTAL DERRADEIRO
DESTE CHÃO O SENHOR VERDADEIRO
SEMENTE EU SOU A PRIMEIRA
DA PURA ALMA BRASILEIRA

JAMAIS SE CURVAR, LUTAR E APRENDER
ESCUTA MENINO, RAONI ENSINOU
LIBERDADE É O NOSSO DESTINO
MEMÓRIA SAGRADA, RAZÃO DE VIVER
ANDAR ONDE NINGÚEM ANDOU
CHEGAR AONDE NINGUÉM CHEGOU
LEMBRAR A CORAGEM E O AMOR DOS IRMÃOS
E OUTROS HERÓIS GUARDIÕES
AVENTURAS DE FÉ E PAIXÃO
O SONHO DE INTEGRAR UMA NAÇÃO
KARARAÔ… KARARAÔ… O ÍNDIO LUTA PELA SUA TERRA
DA IMPERATRIZ VEM O SEU GRITO DE GUERRA!

SALVE O VERDE DO XINGU… A ESPERANÇA
A SEMENTE DO AMANHÃ… HERANÇA
O CLAMOR DA NATUREZA
A NOSSA VOZ VAI ECOAR… PRESERVAR!

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X