fbpx

Entenda como está a crise da Dedini

PIRACICABA /SP 03/08/2006 ECONOMIA ESPECIAL DOMINICAL FABRICA DEDINI INDUSTRIA DE BASE EM PIRACICABA FOTO AE

A crise da Dedini Indústria de Base S. A., com sede em Piracicaba e unidade em Sertãozinho, no interior paulista, ganha novos capítulos.

O Portal JornalCana divulga sobre a situação da empresa, que está em recuperação judicial, e foi uma das principais fornecedora de bens de capitais para usinas de cana-de-açúcar e que, em Sertãozinho, adquiriu o controle da histórica Zanini S. A. Equipamentos Pesados, então pertencente ao Grupo Biagi.

As informações a seguir foram disponibilizadas pela imprensa:

Acordo

A Dedini Indústrias de Base chegou a um acordo sobre o pagamento de Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR), e os quase 1.100 funcionários da empresa em Piracicaba encerraram na quarta-feira (21/09) o estado de greve iniciado semana passada. Segundo o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do município, Eduardo Luiz Gozzer, a companhia se comprometeu a pagar os R$ 3.750 reivindicados pela classe trabalhadora em seis parcelas, sendo duas neste ano e outras quatro no próximo – a primeira, de R$ 650, será depositada amanhã. Inicialmente, a Dedini oferecia um PLR de R$ 3.000.

Em nota, a Dedini informou que houve acordo entre a empresa, comissão de trabalhadores e sindicato para que a PLR deste ano seja no mesmo valor praticado em 2015, que foi de R$ 3.750.

Leia também: Dedini enxuga operações

Pagamento 

Segundo o Sindicato, no dia 21 de outubro serão depositados R$ 650. Outro adicional de R$ 100 será pago em 20 de novembro, também junto com o junto ao ticket normal. Já em 2017, os trabalhadores receberão R$ 450, em 21 de fevereiro, e mais três parcelas de R$ 600 no mesmo dia dos meses seguintes.

Além da PLR, a categoria reivindica o pagamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em atraso, a regularização das férias vencidas sem concessão de descanso, o pagamento do terço e remuneração de férias concedidas e de multas referentes aos salários não recebidos pelos funcionários.

Leia também: Dedini demite mais de 100 e fecha unidade em Sertãozinho 

Credores

Na segunda-feira (20/09), os credores da Dedini Indústria de Base aprovaram  o plano de recuperação judicial, que prevê sanar dívidas de R$ 177,1 milhões. O cronograma de pagamento passará a ter validade depois que o plano, aprovado por 97% dos presentes na assembleia de credores.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X