fbpx

Embrapa e Usina Granelli: parceria para rastrear a cadeia produtiva da cana

Proposta é chegar a um sistema único para a produção

Objetivo é integrar conhecimentos e experiências que viabilizem o desenvolvimento de uma tecnologia inovadora para a rastreabilidade da cadeia (Foto: Rafael Turati/Embrapa/Divulgação)

Desenvolver tecnologia inovadora para rastrear toda a cadeia produtiva da cana-de-açúcar. Este é o objetivo de parceria técnica em gestação entre a Embrapa Informática Agropecuária, a Usina Granelli e a empresa Safe Trace.

Representantes das empresas e da instituição participaram de encontro, em 12/02, na sede da Embrapa, em Campinas.

A parceria técnica integra esforço de reunir informações seguras dessa cadeia produtiva em um sistema único voltado ao setor sucroenergético.

 

 

 

Leia também: 

Quer aumentar a produtividade do cultivo de cana? Use bactérias e composto orgânico

 

Parceria e acordo desde 2019

A parceria vai de encontro a acordo de cooperação firmado em 2019 entre a Embrapa e a Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo (Coplacana).

Esse acordo busca criar uma solução usando blockchain.

Por sua vez, essa tecnologia funciona como uma espécie de encadeamento de todas as operações, impedindo fraudes e garantindo maior segurança ao processo.

Segundo Alexandre de Castro, pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária, muitos consumidores têm preocupações não somente com o preço dos produtos alimentícios.

Mas também em relação à qualidade dos insumos utilizados, o local de origem, e se a forma de produção é sustentável, entre outras informações.

Com o blockchain, será possível integrar informações de todos os elos da cana-de-açúcar, desde a fase de produção da cultura, passando pela distribuição e comercialização, ou seja, da origem do produto até o consumidor.

Além de proporcionar segurança nas informações fornecidas ao consumidor sobre a origem das matérias-primas, insumos e processos aplicados ao produto final, o uso dessa tecnologia permite mais.

Por exemplo: traz vantagens quanto à segurança criptográfica e à distribuição da base de dados da Política Nacional de Biocombustíveis RenovaBio.

“O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar e etanol; em tempos de concorrência acirrada, um sistema seguro, confiável e de fácil acesso, que concentre todas as informações sobre a cadeia produtiva da cana-de-açúcar pode propiciar um diferencial para atingir mercados mais exigentes e melhor remuneração pelo investimento em tecnologia”, afirma Castro.

“Além disso, a centralização das informações sobre a cadeia produtiva em um sistema seguro amplia a capacidade gerencial tornando a tomada de decisão mais ágil e assertiva”, complementa.

Participaram da reunião o presidente da Usina Granelli, José Valdir Granelli, o gerente industrial Claudinei Rodrigues e a diretora jurídica da Usina Granelli, Mariana A. Granelli.

Pela Safe Trace, esteve presente o diretor de novos negócios Vasco V. Picchi.

O chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Informática Agropecuária, Stanley de Medeiros Oliveira, o pesquisador Alexandre Castro e os analistas integrantes da equipe do projeto de pesquisa Edgard Henrique dos Santos, Inácio Henrique Yano, Luís Eduardo Gonzales e Luiz Antonio Falaguasta Barbosa também compareceram.

[Com conteúdo de Nadir Rodrigues, da Embrapa]

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

15 − quatro =

X