fbpx
JornalCana

Em expansão, mercado islâmico mira açúcar brasileiro certificado

Importação do alimento no primeiro trimestre de 2021 totalizou cerca de US$ 510 milhões

Parte da exportação de açúcar da Usina Jacarezinho é destinada aos países islâmicos

No primeiro trimestre de 2021, o Brasil exportou quase 6 milhões de toneladas de açúcar, sendo que os mercados árabe e asiático foram os que mais importaram o produto brasileiro. A compra feita por Bangladesh (10%), Indonésia (9,5%) e Argélia (8,3%) totalizou cerca de US$ 510 milhões em açúcar.

O mercado islâmico, que vêm crescendo a todo vapor e conta com quase 2 bilhões de consumidores no mundo, exige um rígido controle sanitário para a aquisição de produtos. É preciso ter a certificação Halal, emitida após criteriosos processos de auditoria que envolvem cada etapa da indústria, desde a matéria-prima e atesta que o produto está apto ao consumo pelos muçulmanos e é sinônimo de qualidade.

A Usina Jacarezinho, localizada no interior do Paraná, é uma das poucas que possui a certificação Halal no Brasil. “Essa certificação, além do produto que é beneficiado por ela, trouxe muitos ajustes na nossa estrutura. Tudo isso, colaborou para a melhoria dos processos de uma forma geral na organização. O produto Halal precisa ser um bem que não afete a saúde humana e que introduza as boas práticas de fabricação em seus processos fabris”, afirmou Eduardo Lambiasi, diretor corporativo do Grupo Maringá, que controla a Usina Jacarezinho.

LEIA MAIS >  Países árabes são principais destinos do açúcar brasileiro

Eduardo Lambiasi, diretor corporativo do Grupo Maringá

Segundo Lambiasi, para manter esses padrões, não apenas na produção do açúcar, mas também do etanol, a usina mantém a conservação do solo, com rotação de cultura, planejamento conservacionista para cada ambiente de produção, cobertura vegetal e plantio. Além disso, a usina também desenvolve estudo e futuro projetos para a plena utilização da palha de cana-de-açúcar e implementação de biogás, a partir da torta de filtro e vinhaça como gerador de energia para os caminhões, colheitadeiras e parte da eletrificação da usina.

“A sustentabilidade tem que vir de toda a cadeia. E é importante para nós também, independentemente de exigências pontuais, que esses processos sejam cada vez mais fomentados em nossa atividade”, explica Lambiasi, em entrevista ao Copercast, canal de comunicação da Copersucar, da qual a usina é associada.

.Além da certificação Halal, a Usina Jacarezinho também exporta, etanol para o mercado norte americano e para o japonês, atingindo mercados com práticas sustentáveis e que exigem certificação com rastreabilidade da origem da cana-de-açúcar, que não venha de áreas de desmatamento e de pastagem.

Mercado em expansão

Conforme dados divulgados no início de maio pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, a perspectiva para o mercado halal global é de atingir US$ 2,35 trilhões até 2024. O setor com maior movimento de receita é o de alimentos e bebidas responsável por 58% do faturamento global e com certificação Halal e nos próximos três anos, pretende faturar US$ 1,38 trilhões.

“Todo o mundo busca por alimentos de qualidade e agora, mais do nunca, por produtos que proporcionam segurança alimentar e rastreabilidade. E a certificação Halal tem sido exigida cada vez mais não só por países árabes muçulmanos, mas também por outros países que buscam alimentos seguros”, conclui Omar Chahine, gerente de Relações Institucionais da Cdial Halal, uma das maiores certificadoras halal do Brasil.

 

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram