fbpx

Em crise, Abengoa tem R$ 309 milhões do BNDES para etanol 2G

A Abengoa Bioenergia Agroindústria S.A, controlada pelo grupo espanhol Abengoa, que entrou com recente pedido proteção contra credores, semelhante a Recuperação Judicial, está entre as maiores companhias sucroenergéticas do Brasil a obter recursos financeiros do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investir em etanol de segunda geração (2G).

Em 18 de dezembro de 2014, o BNDES divulgou a liberação de financiamentos a quatro projetos do setor sucroenergético no País, no valor total de R$ 592,1 milhões.

A maior operação foi com a Abengoa Bioenergia Agroindústria S.A., que receberá R$ 309,6 milhões para implantar planta de etanol de segunda geração (2G).

Conforme a divulgação da instituição financeira pública, será a quarta planta de etanol 2G do Brasil e terá a capacidade nominal de 64 milhões de litros por safra.

A unidade será construída de forma integrada ao processo tradicional de produção de etanol, na Usina São Luiz, em Pirassununga (SP). Com mais este investimento, a capacidade instalada de produção de etanol 2G no Brasil atingirá quase 200 milhões de litros por safra.

Unidade São Luiz: R$ 309 milhões para etanol celulósico
Unidade São Luiz: R$ 309 milhões para etanol celulósico

Leia mais: Crise na Abengoa na Espanha é ameaça ao Brasil 

Leia mais: Abengoa leiloa maquinário agrícola

Em nota à imprensa, o BNDES informa: 

BNDES tem operações contratadas com a Abengoa no valor total de R$ 2,1 bilhões. São operações de project finance (o próprio empreendimento é a garantia) ou com garantia corporativa e fianças bancárias. Os projetos já estão operando. Como as garantias do banco estão associadas aos projetos, o eventual pedido de recuperação judicial da matriz não afeta o BNDES do ponto de vista do recebimento de seus créditos.

Saiba mais sobre a Abengoa Bioenergia

A companhia sucroenergética, controlada pela espanhola Abengoa, possui três unidades produtoras no interior paulista: Usina São Luiz, em Pirassununga, com produção anunciada de 90 milhões de litros de etanol e 285 mil toneladas de açúcar; a unidade Santo Antonio de Posse, no município de mesmo nome, com capacidade anunciada de 25 milhões de litros de etanol e 30 mil toneladas de açúcar; e a unidade São João da Boa Vista, no município de mesmo nome, com capacidade anunciada para 145 milhões de litros de etanol e 245 mil toneladas de açúcar.

Contate o autor deste conteúdo: [email protected]

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X