fbpx

Em abril consumo de combustíveis leves cai 30%

Com exceção de Santa Catarina, os demais estados registraram sensíveis quedas no volume demandado de biocombustível

Houve uma retração de 30,2% no consumo de combustíveis, em gasolina equivalente, pela frota de veículos leves no mês de abril quando comparado ao mesmo período do ano anterior. O volume registrado de 3,12 bilhões de litros representa o menor valor mensal desde fevereiro de 2010, conforme dados publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e compilados pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

No acumulado de janeiro a abril, o consumo de combustíveis no mercado nacional atingiu 15,66 bilhões de litros, em gasolina equivalente, o que representa uma queda de 10,0% na comparação com o mesmo período de 2019.

O consumo de etanol hidratado e o de gasolina apresentaram forte retração em abril, 33,6% e 28,8% respectivamente devido aos impactos causados pela pandemia. O volume consumido do biocombustível somou apenas 1,2 bilhão de litros e 2,27 bilhões de litros referente ao fóssil.

Na avaliação por Estado, com exceção de Santa Catarina, que apresentou crescimento de 20% no consumo de hidratado, todas as demais unidades federativas registraram sensíveis quedas no volume demandado de biocombustível. Os dados indicam que nos principais Estados consumidores do renovável, a retração na demanda ficou em 31,1%, variando de 23,2% no Mato Grosso até 34,8% no Paraná. Com relação ao consumo de gasolina C, a retração variou de 8,4% no Mato Grosso até 38,4% no Amazonas.

No mês de abril, as empresas da região Centro-Sul comercializaram com as distribuidoras 1,1 bilhão de litros de etanol hidratado combustível, queda de 37,8% no volume em comparação com abril de 2019.

Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da UNICA

“A comprovação da forte retração na demanda sentida pelas unidades produtoras evidencia a necessidade de soluções estruturadas para o enfrentamento da crise. A criação de uma linha de financiamento usando os estoques como garantia é uma solução de mercado que pode evitar o agravamento da situação financeira do setor”, afirmou Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da UNICA.

Os dados da ANP ainda mostram que o volume do renovável comercializado totaliza 6,35 bilhões de litros de janeiro a abril, 11,3% inferior ao registrado no mesmo período de 2019.

Apesar da significativa retração no consumo, a elevada competitividade do etanol no mercado doméstico frente a gasolina possibilitou a manutenção da participação na matriz de combustíveis do ciclo Otto. Em abril, o índice que mensura os volumes de hidratado e anidro consumidos pela frota de veículos de passeio e carga leve atingiu 46,8%.

O levantamento mostra ainda que na última semana (entre 24 a 30 de maio) 188 municípios apresentaram preços relativos a etanol versus gasolina inferiores a paridade técnica de 70%.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

1 × um =

X