fbpx

É preciso definir como ficará a tributação com a venda direta de etanol

Avaliação é do presidente do Sindalcool-MT

Foto: Divulgação

É necessário definir como ficará a tributação diante a proposta de venda direta de etanol hidratado.

A avaliação é de Silvio Cezar Pereira Rangel, presidente do Sindalcool-MT.

A entidade representa a cadeia produtiva de etanol no Mato Grosso.

Em entrevista ao JornalCana, o executivo destaca como a entidade avalia a proposta de comercialização direta.

O Sindalcool-MT tem participado de reuniões com representantes do Governo Federal sobre a proposta de venda direta de etanol hidratado pelas unidades produtoras?

Silvio Cezar Pereira Rangel – Participamos de algumas reuniões no inicio das discussões. E temos sido representados pelo Fórum Nacional Sucroenergético.

Leia também:

Cucaú é a vencedora da categoria Gestão Industrial – Performance no MasterCana Nordeste

 

Adesão à venda direta depende de algumas definições

 

Qual é a posição do setor do Mato Grosso diante a venda direta?

Silvio Cezar Pereira Rangel – A posição de nossas associadas é que para definir adesão a venda direta há que se definir algumas etapas.

É o caso, por exemplo, da tributação.

Estabelecidos todos os critérios para a venda direta, cada empresa adotará sua estratégia de comercialização.

O Sindalcool-MT tem proposta apresentada acerca da venda direta?

Silvio Cezar Pereira Rangel – Nas discussões sobre o assunto temos pontuado exatamente a necessidade de definições claras, bem como eventual impacto no RenovaBio.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

três + vinte =

X