fbpx
JornalCana

Dutos ajudam a escoar 120 milhões de litros de etanol

O sistema dutoviário amplia importância no transporte de etanol combustível não apenas no abastecimento interno, mas também avança presença no mercado externo do biocombustível. 

Levantamento do Sistema de Informações de Fretes (Sifreca), da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da USP, revela que o sistema dutoviário foi responsável pelo transporte de 120 milhões de litros do biocombustível no mês de novembro último. O volume foi inferior aos 182 milhões de litros movimentados em outubro, mas revela a importância desse modal na logística de transporte do produto derivado da cana-de-açúcar.

Conforme análise do mercado de etanol, atualizada em 18/12 por Vinicius Gachido, do Sifreca, um fator evidenciado é o nível elevado de demanda por serviço de transporte para abastecimento das bases dutoviárias de Uberaba e Ribeirão Preto.

As microregiões de Ribeirão Preto, Catanduva, Barretos, Frutal e Uberaba – mais representativas na área de captação da dutovia – apresentaram reajustes positivos expressivos no mês de novembro.

Nos meses de outubro e novembro, foi constatado que o atual sistema dutoviário não está tendo participação apenas no abastecimento do mercado interno de etanol, mas também vem promovendo a intermodalidade na exportação via Santos.

Assim, verificou-se que parte do etanol que chegou à base de distribuição de Paulínia foi transportado, na sequência, por caminhões até o porto de Santos. A dutovia vem atuando, desta maneira, como uma modalidade alternativa para a redução dos custos de transporte para o mercado externo.

Comportamento

Segundo a análise do Sifreca, a primeira quinzena do mês de novembro foi caracterizada pela manutenção dos patamares elevados de escoamento de etanol tanto para abastecimento interno, quanto para exportação. Já na segunda quinzena de novembro, este cenário alterou: os fluxos de etanol com destino ao porto de Santos sofreram forte retração, o que, por sua vez, aumentou a disponibilidade de veículos com foco no abastecimento do mercado interno.
Entretanto, foram as características de oferta regional de etanol que ditaram o comportamento dos fretes do combustível praticados no mês de novembro.

Neste sentido, naquelas regiões em que os níveis de estoque de etanol estão baixos, tais como nas de Piracicaba, Araraquara e Presidente Prudente, os fretes praticados sofreram redução no mês de novembro.

Por outro lado, nas regiões nas quais ainda existe elevado volume do produto a ser escoado, houve reajuste positivo no valor do frete, o que atraiu veículos e viabilizou o escoamento do etanol.
A Figura 1 apresenta os reajustes médios dos fretes em novembro em relação ao mês anterior, por microrregião de origem e algumas bases de distribuição da região Centro-Sul como destino (Duque de Caxias, Betim, Paulínia, Barueri, Ourinhos e Maringá). As variações positivas nos fretes estão apresentadas nos tons de azul, e as negativas em tons de verde.

 

etanol2
Fonte: Elaborado pelo Grupo ESALQ-LOG com base nos dados de LOGUM (2015). Figura 2. Evolução da captação de etanol pela dutovia ao longo de 2015

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram