fbpx

Dívida média das usinas é de R$ 139 por tonelada de cana, projeta Rabobank

Valor é líquido

Manoel Queiróz, do Rabobank, durante apresentação na 2ª Reunião Canaplan

A dívida líquida das usinas sucroenergéticas é de R$ 139 por tonelada de cana.

A informação é de Manoel Queiróz, do Rabobank, durante sua apresentação na manhã desta terça-feira (15/10) na 2ª Reunião Canaplan, em Ribeirão Preto (SP).

Segundo Queiróz, a previsão inicial do Banco era de que a dívida líquida ficaria entre R$ 137 a R$ 146 por tonelada de cana.

“Não foi um ano ruim”, destacou ele, lembrando que em safras anteriores, como a 14/15, a dívida líquida chegou a R$ 182 por tonelada de cana.

 

Leia também:

Reservatórios de hidrelétricas devem ficar com água abaixo do esperado em outubro

 

Empresas diferentes

O executivo do Rabobank destacou, em sua apresentação, a diferenciação entre as empresas sucroenergéticas.

Das clientes do Banco, disse, estão divididas em quatro grupos e, entre eles, há quem possua dívida líquida entre R$ 44 a R$ 92 por tonelada de cana.

E há, também, quem possua dívida líquida entre R$ 180 a R$ 310 por tonelada de cana.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

17 + vinte =

X