Diretor da Unica comenta sobre o impacto das greves na Petrobras e de caminhoneiros

Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), revela as repercussões no setor sucroenergético das greves dos petroleiros da Petrobras, iniciada há 13 dias, e dos caminhoneiros, que começou no último domingo.

Rodrigues falou para o Portal JornalCana na tarde de quarta-feira (11/11), em Araçatuba (SP), onde participou da oitava edição do Congresso Nacional de Bioenergia, que termina nesta quinta-feira (12/11) e é promovido pela Udop e pela STAB. 

As greves têm gerado alguma repercussão junto ao setor sucroenergético, seja pelo aumento do consumo de etanol hidratado, por conta da menor produção de gasolina, ou seja por problemas no transporte de biocombustível por caminhões?

Antonio de Padua Rodrigues – Até agora não temos nenhuma informação. Conversei com todas as distribuidoras, e são elas quem devem responder a essa pergunta. Do ponto de vista de etanol, ele está disponível em todas as usinas, seja anidro ou hidratado. Quem pega gasolina na refinaria são as distribuidoras, quem pega o etanol nas usinas são as distribuidoras. Até o momento, não sentimos nenhuma redução na retirada de etanol. O que significa que eles [distribuidoras] têm gasolina para misturar ao anidro.

Rodrigues, da Unica: por ora as greves não afetam o setor sucroenergético
Rodrigues, da Unica: por ora as greves não afetam o setor sucroenergético

Como deverá estar o estoque de etanol hidratado para atender o consumo durante a entressafra?

Rodrigues – Estoque, há. Temos ainda 15% ou 16% da cana [na região Centro-Sul] para ser processada. Estamos com 518 a 520 milhões de toneladas de cana processadas. Para esta safra a moagem pode passar de 600 milhões de toneladas.

Fale mais a respeito, por favor.

Rodrigues – Sabemos que a demanda de ciclo otto no último mês caiu 2%. Há indicação de que a demanda de ciclo otto vai cair muito mais agora em novembro, dezembro e janeiro, por conta da perda de poder aquisitivo da população. Então  o que será a próxima entressafra? Será um mercado que depende ainda da oferta e da cana. Moeremos as 80 milhões de toneladas de cana disponíveis. Como se faz 40 a 42 litros de etanol por toneladas, há, com as 80 milhões, uma oferta de 3,2 milhões de litros de etanol. Temos que levar em conta a queda de demanda. Dependendo desses movimentos é que haverá uma direção do tamanho da oferta e dos estoques de etanol para a próxima safra.

Há volume estimados de estoque de anidro?

Rodrigues – O etanol anidro é regulado. Posso garantir que no começo de abril de 2016 haverá um estoque superior a 1 bilhão de litros de anidro. É obrigado a ter 752 milhões de litros nas mãos dos produtores e obrigado a ter 400 milhões de litros nas mãos das distribuidoras. Se houver, por algum motivo, migração do consumidor do hidratado para a gasolina [que tem 27% de adição de etanol anidro], o estoque do anidro é suficiente para essa migração.

O sr. tem uma projeção de quantas toneladas de cana serão bisadas para a safra 16/17?

Rodrigues – 30 milhões de toneladas de cana.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X