fbpx

Dedini planeja fechamento da unidade de Sertãozinho

A metalúrgica Dedini Indústria de Base entregou à Justiça uma proposta de pagamento aos credores e, entre os itens no documento, está o fechamento da fábrica de Sertãozinho.

Além disso, também está prevista a demissão de outros 500 funcionários, dos 1,7 mil que ainda trabalham para empresa.

Os passivos da empresa passam de R$ 1,8 bilhão, sendo que R$ 1,4 bilhão são devido a passivos judiciárias, R$ 300 milhões por endividada bancário com alienação fiduciária e R$ 147 milhões de dívidas com credores.

A previsão é de que o pagamento da dívida seja realizado em até 12 anos, mas a proposta ainda deverá ser votada pelos credores, em assembleia sem data marcada. Porém, a empresa promete pagar já no primeiro ano as dívidas trabalhistas, que alcançam R$ 32,6 milhões e as rescisões dos vínculos dos empregados, que é avaliado em R$ 20 milhões.

Em setembro, a Dedini entrou com o processo de recuperação judicial no Fórum de Piracicaba, com a intenção de ter mais tempo de renegociar a dívida com  os credores, além de realizar uma reestruturação interna.

Com isso, foi constatado que a unidade industrial de Sertãozinho está rodando com no máximo 20% da capacidade produtiva, e, por isso, a produção dos equipamentos ficarão concentradas na unidade de Piracicaba.

Em Piracicaba

Nesta semana, a Dedini realizou um acordo com os trabalhadores demitidos da empresa em Piracicaba. Foi decidido que a empresa realizará pagamentos mensais de R$ 574 mil até que haja alguma decisão na Justiça, que está analisando a venda de imóveis abarcados da empresa, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba.

O valor é referente aos trabalhadores dispensados pela Dedini em agosto, e também para os que foram dispensados entre fevereiro e novembro de 2014.

Fonte: (Revide Online)

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X