fbpx

Custos poderão aumentar com parada reduzida de entressafra

Manutençao Dedini
A manutenção sem paradas ou com uma parada reduzida é viável se a usinas adquirem componentes que possam ser fabricados durante a safra (período de baixa carga nas unidades fabril) e substituída nas paradas programadas ou no período da entressafra reduzida, contudo, os custos poderão sofrer alterações. A informação é de Valentin Rabaldelli, supervisor de administração do RGD da Dedini. “Isso evitaria a necessidade de contratação em período de alta e dispensas nos períodos de baixa. Mas os custos poderão aumentar devido o maior número de horas extras trabalhadas. Dessa forma os custos tendem a ser maiores do que os normais. Assim ficaremos à disposição nas paradas por motivos de chuvas ou em uma parada programada mais reduzida onde os componentes antigos poderão ser trocados pelos novos”, reforça.

Ele explica que normalmente as usinas fazem as aquisições dos principais itens com antecedência, deixam alguns itens para o período da entressafra, e daqueles que só podem ser reformados ao término da safra. “Já temos sinalização de algumas usinas que desejam antecipar seus pacotes de manutenção nos próximos meses. A tendência do futuro é que as usinas parem um período bem menor para as manutenções, para isso precisam se preparar com aquisição de componentes de reserva. A Dedini está preparada para atender o mercado sucroenergetico através do Sistema RGD na demanda de componentes que podem ser substituídos durante a safra e em paradas programadas”, lembra.

Confira matéria completa na edição 244 do JornalCana.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

Comentários
Carregando...
X