JornalCana

Cosan unifica políticas ESG nas empresas do grupo

Em documento a holding estabelece um conjunto de diretrizes com os principais aspectos ESG

A Cosan, holding que controla a Raízen, Rumo, Compass, Moove e Vale, estabeleceu parâmetros que deverão nortear os investimentos da companhia nesse período de transição energética.

Chamado de Visão 2030, o documento apresenta diretrizes sobre os principais aspectos do ESG (meio ambiente, social e governança, na sigla em inglês), como mudanças climáticas, diversidade e impacto social.

“Como holding, tínhamos um controle mais informal dessas questões. O que estamos fazendo agora é formalizar nossos objetivos para dar mais transparência tanto internamente, na gestão das controladas, quanto externamente, no relacionamento com investidores”, afirma Marina Carlini, head de ESG do grupo.

O documento vem sendo discutido há cerca de nove meses e envolveu o conselho da holding, a diretoria das controladas e outros stakeholders. Segundo Carlini, foram conduzidas mais de 60 entrevistas com lideranças. O desafio, diz a executiva, foi encontrar denominadores comuns.

“As empresas do grupo já tinham políticas ESG, e elas seguem valendo. A Visão 2030 estabelece metas compartilhadas. “Com esse movimento, o investidor terá menos trabalho: em vez de ler cinco relatórios de sustentabilidade, terá as informações centralizadas”.

LEIA MAIS > Diana Bioenergia recebe prestigiosa premiação pela melhoria contínua relacionada a sustentabilidade

As diretrizes também direcionarão aquisições que possam vir a acontecer no futuro. A ideia é que a holding atue como uma gestora de portfólio, e tome decisões com base no que está formalizado na estratégia ESG. Acima dessas diretrizes, está o conceito de transição energética, que já vinha orientando as decisões da holding no que se refere à estratégia de mercado.

A linha que une as empresas do grupo é a descarbonização da economia, seja pela produção e energia limpa, como no caso da Raízen, maior empresa de etanol do país; seja pela necessidade de substituir combustíveis fósseis por energia renovável, casos das empresas do setor de logística e mineração.

Apesar de definir um prazo até 2030 para o conjunto das metas, a Cosan fatiou alguns objetivos. Até 2024, por exemplo, todas as empresas do grupo terão de formalizar os critérios ESG na alocação de capital. Em 2025, será formalizado um plano de investimento social privado e, até 2026, todos os conselhos terão de contar com, pelo menos, uma mulher e um representante de grupos minorizados.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram