fbpx

Conheça as alternativas para controle de nematoides em cana-de-açúcar

Praga é causadora de muitos prejuízos à lavoura

 

Os nematoides são causadores de muitos prejuízos aos canaviais e a grandeza dos danos varia em função do nível populacional dos parasitos nas lavouras. “Os nematoides causam redução de produtividade em muitas culturas de importância agrícola, como soja, algodão, milho, café, laranja, e não é diferente em relação à cana-de-açúcar”, afirma a pesquisadora científica Leila Luci Dinardo-Miranda, do Centro de Cana do Instituto Agronômico (IAC/Apta/SAA) de Ribeirão Preto (SP).

Leila comenta que em canaviais podem ser encontrados muitas espécies de nematoides, mas quatro delas são as responsáveis pelos maiores prejuízos aos produtores. São elas:  Pratylenchus zeae e P. brachurus, Meloidogyne javanica e M. incognita. Dentre essas, P. zeae é a espécie mais relevante em cana-de-açúcar, pois é a mais frequentemente encontrada em populações altas, o que causa ainda mais danos econômicos.

A pesquisadora explica ainda que o ataque dos nematoides à cana-de-açúcar restringe-se às raízes, de onde extraem nutrientes para o crescimento e desenvolvimento. Esse ataque ao sistema radicular ocorre desde a emissão das primeiras raízes, originadas tanto no tolete como nos perfilhos brotados a partir das gemas.

Como os nematoides injetam toxinas no sistema radicular, ocorrem deformações, como as galhas provocadas por Meloidogyne e extensas áreas necrosadas, quando os nematoides presentes são Pratylenchus. Em consequência do ataque de nematoides, as raízes tornam-se pobres em radicelas e incapazes de absorver água e nutrientes necessários para o bom desenvolvimento das plantas, que ficam menores, raquíticas, cloróticas, murchas nas horas mais quentes do dia e menos produtivas.

A infestação por nematoides provoca ainda perdas de produtividade na cana-planta que variam de 10% a 30 %, mas em algumas situações podem atingir 50 %. “Os danos, entretanto, não se restringem à cana-planta. Nematoides também reduzem a produtividade das soqueiras, o que leva à antecipação da reforma dos canaviais”, ressalta.

De acordo com a pesquisadora, o manejo de áreas infestadas envolve medidas que favorecem o bom desenvolvimento das plantas, como escolha de variedade adaptada ao ambiente de produção; adubação; calagem e gessagem adequadas; o uso de matéria orgânica (normalmente torta de filtro) no sulco de plantio e também a rotação de cultura, especialmente com crotalárias.

No entanto, Leila afirma que tais medidas não reduzem as populações de nematoides e, por causa disso, nematicidas químicos ou biológicos são imprescindíveis para o manejo de áreas infestadas e devem ser utilizados tanto no plantio como nas soqueiras.

O engenheiro agrônomo Jorge Silveira, gerente técnico da OMEX Brasil, comenta que as boas práticas de manejo de nematoides devem incluir o uso do VIGGA, o novo nematicida natural da empresa. Registrado pela OMEX Brasil em abril deste ano, o produto teve todos os resultados para registro conclusivos em termos de eficiência de controle (ovos, juvenis e adultos).

“O nematicida mostrou ter controle da população de nematoides, mantendo residual de até 150 dias. Além disto é um produto seguro ao aplicador e ao meio ambiente (faixa azul)”, explica o engenheiro agrônomo. Silveira afirma que o nematicida VIGGA une a eficiência de controle esperada pelos nematicidas químicos com a segurança e respeito ao meio ambiente, pois é um produto formulado com matérias-primas naturais.

De acordo com o engenheiro agrônomo André Dias, sócio diretor da consultoria Spark Inteligência Estratégica, o uso de nematicidas biológicos na cultura da cana-de-açúcar já ocorre de maneira representativa. “O levantamento BIP Spark Cana-de-Açúcar, safra 2019-20, mostrou que o manejo envolvendo esses produtos já cobre 25% da área tratada”, assinala Dias. A Spark tornou-se a principal empresa do Brasil na área de estudos para empresas do agronegócio, principalmente nos mercados de defensivos agrícolas e sementes.

Em webinar a ser realizado as 19h do dia 17 de novembro via YouTube (OMEX Brasil), a OMEX do Brasil apresentará os benefícios do uso do VIGGA em cana-de-açúcar. Ficaremos honrados com sua presença. Entre em contato pelo e-mail [email protected].

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

sete + 8 =

X