fbpx
JornalCana

Com investimentos de R$ 400 milhões, MS terá nova usina de etanol

Unidade deverá iniciar atividades em 2024

Com previsão de R$ 400 milhões em investimentos, o grupo Pedra Agroindustrial vai finalizar as obras da Usina Orbi Bioenergia, que foi renomeada como Usina Cedro, em Paranaíba – MS. A expectativa é de que o empreendimento entre em funcionamento em 2024 e gere cerca de 1.200 empregos diretos e indiretos.

As informações foram repassadas ao secretário Jaime Verruck, da Semagro MS (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), durante reunião realizada, recentemente, com o diretor-superintendente do grupo Luiz Roberto Kaysel e o diretor administrativo e financeiro, José Márcio Cavalheire, na Semagro.

“Recebemos com muito otimismo a informação de que essa usina em Paranaíba foi adquirida pelo grupo Pedra Agroindustrial, gerando empregos na indústria e no campo, fazendo parte da cadeia sucroenergética, estratégica para Mato Grosso do Sul. Por parte do Governo do Estado, nossa tarefa agora é acelerar os processos de licenciamento ambiental e de incentivos fiscais, para que a planta industrial possa funcionar no prazo programado”, comemorou o secretário.

LEIA MAIS > Mercado de carbono pode ser fonte de transformações sociais no Brasil

O titular da Semagro destacou que a usina estava sendo construída ao longo de dez anos e agora será concluída. “Com base na política industrial de atração de empresas do Estado e dado o volume de investimentos que a empresa fará, principalmente na geração de empregos, nós fizemos a reunião para discutir os incentivos fiscais que poderão ser concedidos. Discutimos ainda todo o processo de licenciamento ambiental da empresa para que ela possa dar continuidade a obra”, afirmou.

O secretário Jaime Verruck ainda adiantou que a previsão é de que a usina comece a operar em 2024. “A usina vai processar dois milhões e meio de toneladas e hoje conta com mais ou menos 30 mil hectares de cana. Por isso, agora o grupo vai começar a fazer os investimentos na base agrícola. Com esta produção a usina tem um potencial significativo de geração de emprego no município. Então é mais um empreendimento do Mato Grosso do Sul que avança, trazendo a diversificação da base produtiva e econômica de Paranaíba”, finalizou.

Segundo informações dos representantes do grupo, a expectativa é que a unidade registre uma moagem de 1,2 milhão de toneladas de cana-de-açúcar já em sua primeira safra, alcançando 5 milhões de toneladas após três anos.

Atualmente, o grupo tem uma capacidade de moagem de 10,52 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra, além de poder produzir diariamente até 3,24 milhões de litros de etanol anidro e 5,2 milhões de litros de hidratado.

LEIA MAIS > Atvos qualifica mulheres de Nova Alvorada do Sul (MS) para atuar no setor bioenergético

A usina teve a construção autorizada pela ANP (Agência Nacional do Petróleo) mas a obra não foi finalizada. De acordo com a agência, a previsão de conclusão das obras é 2024, com capacidade de produção diária projetada em 310 mil litros de etanol anidro e 580 mil litros de etanol hidratado.

Também participaram do encontro o diretor-presidente do Imasul, André Borges e o superintendente de Indústria, Comércio e Serviços da Semagro, Bruno Gouveia Bastos. Os diretores da Pedra Agroindustrial destacaram que o pedido foi feito em novembro do ano passado pela companhia ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a aquisição foi liberada no mês passado.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram