fbpx

Com estrutura atual, setor poderia produzir mais etanol

bomba_gasolina1

Nesta semana, dados divulgados ANP – Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, atestaram que a capacidade instalada das unidades autorizadas a produzir etanol no País seria maior se houvesse cana para moer.

A Unica – União da Indústria de Cana-de-Açúcar reitera que hoje, produzir mais etanol, além de exigir investimentos que muitas empresas não conseguiriam bancar para ampliar canaviais, só aumentaria as perdas do setor.

Segundo os dados, a capacidade instalada para produção de etanol, tanto anidro quanto hidratado, é maior do que a produção recorde registrada na safra 2013/14, que deve atingir cerca de 12 bilhões de litros de anidro e 15 bilhões de litros de hidratado. No caso do anidro, a capacidade apontada pela ANP é de 101 milhões de litros diários, contra os 70 milhões por dia efetivamente produzidos na atual safra. No caso do hidratado, a ANP registra uma capacidade instalada de 198 milhões de litros diários, bem superior aos 90 milhões de litros produzidos na última safra.

“Os dados mostram que seria possível produzir mais anidro para dar conta, com folga, de um eventual aumento na mistura de etanol na gasolina para 27,5%, como vem sendo estudado pelo governo”, explica a presidente da Unica, Elizabeth Farina.

Ao contrário do anidro, a capacidade industrial para produzir mais etanol hidratado não é utilizada devido a um conjunto de condições que tornam praticamente impossível dar vazão a essa produção adicional com rentabilidade. “O hidratado concorre na bomba contra uma gasolina precificada artificialmente abaixo do que deveria custar, ficando o prejuízo para a Petrobras. Isso, aliado a políticas internas adotadas pelo governo como a eliminação da Cide sobre a gasolina, tira a competitividade do hidratado na bomba,” explica o diretor técnico da entidade, Antonio de Padua Rodrigues.

0000000008842_img

Outro dado importante mostra que a capacidade de estocagem de etanol nas usinas autorizadas a operar no País atinge quase 17 bilhões de litros em cerca de 2.200 tanques, total que representa mais de 60% de toda a produção de etanol da safra 2013/14. Essa estrutura é fundamental para garantir a estabilidade do abastecimento, especialmente durante a entressafra, já que a capacidade de estocagem disponível nas distribuidoras de combustíveis é apenas de natureza operacional, para no máximo duas semanas de suprimento.

Os dados publicados fazem parte das novas atribuições assumidas pela agência em 2011 e resultam de um esforço para cadastrar e autorizar as atividades das indústrias produtoras de etanol.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X