fbpx
JornalCana

Com aumento expressivo na produtividade, Energética Serranópolis amplia área de aplicação de adubação biológica

Decisão foi tomada após registros de diminuição nos custos agrícolas desde o primeiro ano de uso da biotecnologia Microgeo®

A Energética Serranópolis, que fica na cidade de mesmo nome em Goiás, é uma unidade do grupo familiar Ipojuca. Possui aproximadamente 18.000 ha de área cultivada com cana-de-açúcar e pelo quarto ano consecutivo mantém em seu manejo a adubação biológica produzida com Microgeo®. O manejo biológico e sustentável foi escolhido pela usina como caminho para, além de restabelecer o microbioma do solo e recuperar a saúde ecológica do sistema produtivo, aumentar o rendimento médio de produtividade agrícola.

“Partimos de uma área de menos de 2% no primeiro ano, para mais de 16% da área total em cana e cerca de 40% da nossa área de rotação de cultura, que são soja e crotalária. Obtivemos ótimos resultados, o que determinou a ampliação da área de aplicação”, disse Dr. Plínio Duarte, gerente agrícola da Energética Serranópolis.

Ele conta que conheceu a tecnologia em meados de 2013, mas foi em 2017 que viu e ouviu relatos sobre a eficiência do produto na região, quando participou de visitas técnicas em áreas que já utilizavam Microgeo®. O solo da Energética Serranópolis tem de 12 a 15% de argila e precisava buscar novas tecnologias para aumentar a produtividade de forma vertical.

LEIA MAIS >Atvos trabalha na adequação à LGPD

Nas áreas sem aplicação a idade média dos canaviais da usina é de 4,22 anos. Por ser uma região com solo altamente arenoso e com baixo teor de matéria orgânica (neossolo quartzarênico), a expectativa é que, com o uso da adubação biológica, aconteça o aumento significativo da longevidade dos canaviais.

“Nas áreas que já fazemos aplicação melhoramos a relação C/N e percebemos uma melhoria na aeração do solo, impactando na diminuição da compactação. Através de análises de beta-glicosidase e fosfatase ácida, conseguimos perceber também, um aumento das atividades enzimáticas. Temos observado uma aceleração na decomposição da palhada, uma melhoria na CTC, e nos teores de fósforo. O uso da tecnologia vem aumentando a produtividade de nossos canaviais. Constatamos isso visualmente ao abrirmos trincheiras. Possui mais colmos, as folhas são mais vigorosas e as raízes são bem mais volumosas e profundas. Esse aumento de produtividade vem impactando significativamente na diminuição de nossos custos agrícola”, detalha Duarte.

LEIA MAIS > Raízen tem lucro líquido de R$ 501 milhões no 1T22

No último acompanhamento realizado na safra 2019/20, a produtividade real das áreas com a Biotecnologia Microgeo® resultou num incremento de 9% em TCH (toneladas de cana por hectare) comparado a área testemunha.

O Microgeo® é um componente balanceado, que nutre, regula e mantém a produção do adubo biológico que é produzido na própria área do produtor através do Processo de Compostagem Líquida Contínua® (CLC®). A produção no local de aplicação é estratégica, pois parte dos microrganismos envolvidos no processo são exclusivos e adaptados à localidade. Com isso, ao estimular a microbiota nativa, a adubação biológica atua no condicionamento das propriedades físicas, químicas e biológicas do solo.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram