fbpx
JornalCana

Chuvas devem continuar na região canavieira de Pernambuco até início de maio

Mesmo com um cenário futuro de El Niño, não há perspectivas concretas para a redução das precipitações no local

O fim da moagem das usinas marca o início dos tratos culturais e da plantação da nova safra de cana-de-açúcar em Pernambuco.

O período tem sido chuvoso. Até acima da média, sobretudo na Zona da Mata Sul, que é mais chuvosa que à porção Norte historicamente. Um dos destaques foi em Escada, com pluviometria de 69% acima da média no mês passado.

O início de abril seguiu neste padrão para toda a região canavieira e, apesar das condições que apontam a chegada do El Niño, que costuma reduzir a chuva na região, outras condições atmosféricas (ZCIT e Maddem & Julian) mantêm o índice pluviométrico favorável para até o início de maio. A informação é da previsão climática da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP).

LEIA MAIS > Centro-Sul encerra safra 2022/23 com moagem de 548,28 milhões de toneladas de cana

A previsão completa consta no 2° boletim emitido pelo meteorologista Alexandre Magno, doutor nesta área pela Universidade Federal de Campina Grande/PB (UFCG), contratado pela associação pernambucana. O serviço foi implantado no último mês. Tem como objetivo subsidiar os 8 mil canavieiros associados à AFCP.

“Auxilia na tomada de decisão deles no planejamento dos canaviais, visto que a agricultura depende da água, sendo insumo principal, sobretudo no início da safra“, diz Alexandre Andrade Lima, presidente da AFCP.

“Até o momento, mesmo também com um cenário futuro de El Niño, não há perspectivas concretas para a redução das precipitações sobre as Mata Norte e Sul. E a grande maioria dos modelos de previsão de clima aponta para um trimestre com precipitações de normal a acima da média”, prevê Magno.

LEIA MAIS > Etanol de milho representou 15% da produção total do biocombustível na região Centro-Sul na safra 2022/23

Apesar disso, o meteorologista diz que ainda se observa a atuação de constantes instabilidades do oceano Atlântico em direção ao continente, no caso em particular ao litoral e que ainda permanecem favoráveis à evolução das precipitações pluviométricas, causadas por condições atmosféricas de larga escala, como a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) e a Oscilação de Maden & Julian.

“Assim, as perspectivas sobre a zona canavieira devem permanecer favoráveis ao longo de abril e início de maio, com precipitações regulares e totais de normais a acima da média histórica”, aponta.

Boletim Climático AFCP_02_2023

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram