fbpx

Chineses devem disputar leilões de energia no Brasil

Os chineses devem aumentar sua presença no mercado de energia elétrica do País. O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, acredita que, no ano que vem, empresas chinesas deverão participar de leilões para novos empreendimentos em geração e transmissão de energia elétrica. Segundo o diretor, que estava ontem de malas prontas para passar uma semana na China, os investidores do país asiático já estão conversando inclusive com a Eletrobrás para formar eventuais parcerias nesses leilões.

Hubner, que terá reuniões com investidores na China e participará de feira de negócios em Xangai, lembrou que a estatal chinesa State Grid já adquiriu sete concessões de energia no Brasil controladas pelas empresas espanholas Elecnor, Isolux e Cobra. O investimento na compra dos ativos foi avaliado em R$ 3,1 bilhões. O negócio foi anunciado em maio e teve aprovação da Aneel em setembro.

Hubner lembrou que, além dessa experiência inicial no setor de transmissão, a própria State Grid investe em geração de energia e companhias chinesas já atuam fornecendo turbinas para projetos de hidrelétricas no Brasil. “No ano que vem, deveremos ter, pelo menos, três leilões de geração de energia e outros três de transmissão”, disse o diretor, que participou ontem da assinatura de contrato de concessão de quatro novas linhas de transmissão que foram leiloados em junho deste ano.

Entre os leilões de geração que ocorrerão no ano que vem, segundo ele, deverá haver pelo menos um para hidrelétricas, outro para projetos de menor porte e pelo menos uma licitação para projetos de energia renovável, como centrais eólicas e usinas de biomassa. Hubner afirmou que tem conversado com os chineses e que eles pretendem atuar, no Brasil, do mesmo modo que outras empresas estrangeiras que adquirem concessões no setor elétrico: contratando mão de obra local.

Luz Para Todos

Ontem, o governo prorrogou por mais um ano – de dezembro de 2010 para dezembro de 2011 – o prazo de execução do Programa de Eletrificação Rural Luz para Todos, plataforma eleitoral da campanha da petista Dilma Rousseff à Presidência. A decisão consta de decreto presidencial, publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União.

Esta não é a primeira vez que o programa é prorrogado. Das outras vezes, o motivo era a ampliação do próprio Luz Para Todos, já que novas famílias sem energia elétrica eram encontradas e as metas de eletrificação aumentadas. Desta vez, porém, segundo o Ministério de Minas e Energia, o prazo foi ampliado para garantir que os contratos de obras já assinados ou que venham a ser assinados até o fim do ano possam ser cumpridos até o final.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X