fbpx

Centro-Sul concluiu a safra 20/21 com moagem de 605,46 milhões de toneladas de cana

Produção de açúcar cresce 43,73% em relação ao ciclo anterior

A região Centro-Sul do Brasil concluiu a safra 20/21 com 605,46 milhões de toneladas de cana-de-açúcar processadas, crescimento de 2,56% sobre as 590,36 milhões de toneladas registradas na temporada 19/20.

Segundo Antonio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), “essa expansão da moagem, simultânea a melhora da qualidade da matéria-prima, refletiu na maior disponibilidade de produto, com avanço de 7,11% na produção de açúcar e etanol frente ao ciclo passado.”

De fato, a qualidade da matéria-prima atingiu 144,72 kg de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar no atual ciclo, contra 138,57 kg na safra 2019/2020 (+4,44%). Esse crescimento, alinhado com a maior moagem, resultou em um incremento de 7,11% na quantidade global de produtos disponíveis, que somou 87,62 milhões de toneladas de ATR. “Em oferta total de produto, essa é a maior safra da história do setor”, concluiu Rodrigues.

LEIA MAIS > CEO fala sobre a 1ª planta de etanol de milho da região Norte/NE

Dados preliminares apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) indicam que a produtividade da lavoura colhida na safra 2020/2021 atingiu 77,9 toneladas de cana-de-açúcar, ante 76,1 toneladas verificadas no ciclo 2019/2020 (crescimento de 2,3%).

A estimativa de área colhida no Centro-Sul na safra 2020/2021 totalizou 7,77 milhões de hectares, contra 7,76 milhões estimados para o ciclo 2019/2020.

Produção de açúcar e de etanol

Padua, diretor da Unica

A despeito da grande incerteza derivada da crise sanitária provocada pela Covid-19, a expansão da produção e o abastecimento dos mercados de açúcar e etanol não foram prejudicadas.

O mix de produção da safra 20/21 representou 46,07% do total de matéria-prima processada para a fabricação de açúcar. Com isso, a fabricação da commodity alcançou 38,46 milhões de toneladas, acréscimo de 43,73% em relação à produção de 26,76 milhões de toneladas do ciclo anterior.

Por outro lado, como resultado das medidas de restrição a mobilidade e menor demanda por combustíveis, observou-se um recuo na produção de etanol na safra 20/21. A produção total do biocombustível alcançou 30,37 bilhões de litros, recuo de 8,70% em relação à safra 19/20. Deste total, 9,69 bilhões de litros foram de etanol anidro (-2,65%) e 20,68 bilhões de litros de etanol hidratado (-11,31%). Apesar da queda, o volume produzido ainda é o terceiro maior registrado na história do setor.

LEIA MAIS > Produtor recorre ao uso de adubo biológico para obter canaviais de excelência

Rodrigues esclarece que, “do ATR total processado na safra, 46,1% foram destinados à produção de açúcar, 18,0% à fabricação de etanol anidro e 35,9% à produção de etanol hidratado”. Apesar da produção recorde de açúcar, a maior parcela da cana foi direcionada para a fabricação do biocombustível, concluiu.

O etanol proveniente do milho alcançou 2,57 bilhões de litros de produção no atual ciclo, registrando avanço de 58,13% em relação à safra 2019/2020. A participação do etanol de milho na fabricação total de biocombustível no Centro-Sul totalizou 8,45%.

“A safra 20/21 pôs à prova mais uma vez a resiliência do setor perante adversidades e reforçou o comprometimento que temos com a sociedade e nossos colaboradores. Doamos 1 milhão de litros de álcool 70 para as secretarias de saúde de nove estados e reorganizamos processos seguindo protocolos de sanidade para manter o abastecimento da população ao mesmo tempo que preservamos a saúde dos colaboradores”, ressalta Evandro Gussi, presidente da UNICA.

LEIA MAIS > Acionistas da Biosev aprovam incorporação de ações em assembleia geral
Evandro Gussi, presidente da UNICA

“Nesse período também incorporamos uma nova operação à rotina, a de emissão de CBIOs, honrando nossos compromissos de descarbonização. Contribuímos, assim, para que o primeiro ano do RenovaBio fosse bem-sucedido, estabelecendo bases sólidas e confiabilidade para essa que é umas das maiores políticas de descarbonização dos transportes do mundo”, complementa.

Produção 2ª quinzena de março

Na segunda quinzena de março de 2021, a moagem de cana-de-açúcar alcançou 4,99 milhões de toneladas no Centro-Sul, com 173,59 mil toneladas de açúcar e 371,52 milhões de litros de etanol produzidos.

Na segunda quinzena de março de 2021, 47 unidades produtoras estavam em operação no Centro-Sul, sendo 37 com produção de etanol de cana-de-açúcar, 5 empresas dedicadas à fabricação de etanol de milho e outras 5 unidades flex. No mesmo período de 2020, o número de unidades em operação alcançava 87 empresas, sendo 76 delas com produção de etanol de cana-de-açúcar.

Na primeira quinzena de abril, 88 empresas iniciaram safra até 13/04 e outras 35 planejam começar as atividades até o dia 15/04. Com isso, o número de unidades em operação até o final da primeira quinzena do mês deverá totalizar 160 empresas neste ano, contra 180 unidades operando em igual período de 2020.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X