fbpx

“Cenário atual é muito melhor do que se esperava”

Afirmação é Renato Junqueira Santos Pereira, diretor de Açúcar, Etanol e Energia da Adecoagro

Pereira: açúcar e energia têm dado bons resultados para a companhia

Para Renato Junqueira Santos Pereira, diretor de Açúcar, Etanol e Energia da Adecoagro produtora de etanol com usinas localizadas nos estados de Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, o cenário atual é muito melhor do que se esperava. Em webinar promovido pelo Itaú BBA, o executivo contou que foi criada uma série de protocolos operacionais e de segurança, na companhia, incluídas iniciativas propostas na MP 936, que prevê novas regras trabalhistas durante a pandemia, com o objetivo de garantir a saúde dos colaboradores e a manutenção das atividades.

“Reforçamos muito o caixa da empresa, mas a posição já era muito boa, com um perfil de dívida bom. No balanço fechado em dezembro, mais de 90% da dívida era no longo prazo e acessamos os bancos para ter condição de liquidez e garantia que as operações fossem andar normalmente”, disse, explicando que foram feitos ainda ajustes de custo, como a substituição de serviços de terceiros por operações próprias e a revisão de investimentos, entre eles, o de aumentar o mix alcooleiro e a expansão de plantio.

LEIA MAIS > Gestores apostam em técnicas para colher com mais qualidade

“Como a empresa tem este DNA de custo, quando vem uma crise dessa é muito fácil você se adaptar, pois é parte da cultura da empresa”, avaliou, acrescentando que o foco é no dia a dia, na maior eficiência agrícola e industrial, com atenção para o uso da tecnologia que tem feito o custo diminuir, com iniciativas já implantadas como projeto de 4G no campo, de biometano e fábrica de produção de MPB, entre outros.

Pereira destacou que estão maximizando açúcar, o que tem dado resultados positivos para a companhia, assim com a energia. A Adecoagro produz 75 quilowatts por tonelada de cana e tem faturamento de R$ 20,00 por tonelada de cana o suficiente para pagar o custo industrial ou o corte e transbordo. “É uma ajuda de custo bem significativa e com fluxo de caixa bem estável, porque a margem é muito boa e os contratos já são pré-estabelecidos”.

RenovaBio

As três usinas da Adecoagro (Monte Alegre/MG; Angélica/MS e Ivinhema /MS), com capacidade de moagem de 11,2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, já foram certificadas no RenovaBio e a empresa foi a primeira usina a negociar créditos de descarbonização na B3. Os CBIos escriturados pelo Banco Santander e por intermediação da SUCDEN, foram comercializados no dia 12 de junho e adquiridos pela Datagro Conferences – unidade de Conferências da Consultoria Datagro.

LEIA MAIS > Devolução de terras onerosas de arrendamento pelas usinas vem crescendo

Os primeiros 100 CBIos da história foram adquiridos pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais) cada um, valor que equivale a aproximadamente 10 dólares por CBIo, ou tonelada de carbono. Na Califórnia, na segunda semana de junho, cada tonelada de carbono relacionada ao programa Low Carbon Fuels Standard foi negociada pelo valor de 212 dólares.

Atualmente, o Brasil tem cerca de 200 produtores de biocombustíveis certificados.

Leia matéria completa na edição 317 do JornalCana. Clique aqui!

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

17 − nove =

X