fbpx

Capital do Centro de Tecnologia Canavieira é ampliado em R$ 94,5 milhões. Saiba como isso foi feito

R$ 94.589,188,73 é quanto foi aumentado o capital social do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), empresa de pesquisa que tem em seu bloco de controle as gigantes Copersucar e Raízen (Cosan/Shell), além do BNDESPar, do BNDES.

Confira a seguir detalhes desse aumento de capital. 

Pogetti, presidente do Conselho de Administração: no comando das operações
Pogetti, presidente do Conselho de Administração: no comando das operações

O aumento do capital social foi aprovado pelos membros do Conselho de Administração do CTC em reunião em 24/02 na sede social, em Piracicaba, que teve Luis Roberto Pogetti, na presidência.

Pogetti preside o Conselho de Administração do CTC e da Copersucar.

Leia mais: CTC dá mais um passo para abrir o capital 

 

 

 

Ordem do Dia da reunião:

Deliberar sobre o aumento do Capital Social da Companhia no valor de R$94.589.188,73.

Leia mais: CTNBio analisa cana transgênica do CTC

Deliberações:

Os membros do Conselho de Administração decidiram, por unanimidade de votos e sem quaisquer restrições, aprovar o aumento do capital social da Companhia, dentro do limite do capital autorizado, no montante de R$94.589.188,73

Leia mais: Saiba tudo sobre a cana transgênica do CTC

Como esse valor será corrigido: 

Com base no IPC-A (IBGE) divulgado após o fechamento do mês de fevereiro de 2016, mediante a emissão de 41.869 (quarenta e uma mil, oitocentas e sessenta e nove) novas ações ordinárias de emissão da Companhia, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal (“Aumento de Capital”)

Qual será o preço de emissão: 

Será de R$2.259,17 por ação ordinária, a ser corrigido com base no IPC-A (IBGE) divulgado após o fechamento do mês de fevereiro de 2016.

Quem fixou o valor?

O valor foi fixado com base na perspectiva de rentabilidade da Companhia, nos termos do artigo 170, parágrafo 1º, inciso I, da Lei das S.A. Os acionistas terão o direito de preferência para subscrever as novas ações ordinárias emitidas, nos termos do artigo 171 da Lei das S.A., no prazo de 30 dias, a partir da publicação desta ata no Diário Oficial do Estado de São Paulo e no jornal Valor Econômico.

E após o término do prazo?

Após o término do prazo para o exercício do direito de preferência, as eventuais sobras de ações não subscritas serão rateadas entre os acionistas que tiverem manifestado interesse na reserva de sobras no respectivo boletim de subscrição.

Como o valor será integralizado?

O valor a ser integralizado será de 10% no ato da subscrição e 90% ao término do direito de preferência.

O que mais?

O aumento do capital social ora aprovado, uma vez homologado pelo Conselho de Administração em reunião a ser convocada para esta finalidade, acarretará na modifi cação do artigo 5º do Estatuto Social da Companhia, de forma a refletir o novo capital social, o que será refletido no Estatuto Social da Companhia quando de sua próxima alteração. Fica a Diretoria da Companhia autorizada a praticar todos os atos necessários para o fi el cumprimento desta ata.

Quem esteve presente à reunião?

Luis Roberto Pogetti, Pedro Isamu Mizutani, Fábio Venturelli, Leonardo Pereira Rodrigues dos Santos, Pedro Wongtschowski, Otávio Lage de Siqueira Filho e Fernando de Castro Reinach. Mesa: Luis Roberto Pogetti – Presidente, Andréa Bernardi Sornas – Secretária.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X