fbpx

CanaVialis e Cosan fecham acordo na área de genética

O Cosan, maior grupo sucroalcooleiro do país, comprará da CanaVialis, controlada pela Votorantim Novos Negócios, um “pacote” tecnológico que permitirá o melhoramento genético da cana-de-açúcar que planta. Pelo acordo, já assinado, a CanaVialis montará uma estação experimental dentro de uma das quatro usinas do Cosan na região oeste de São Paulo. A unidade ainda não foi definida.

Segundo Fernando Reinach, presidente do conselho da CanaVialis, serão plantadas variedades selecionadas para atender especialmente às necessidades da Cosan. Fundada em 2003, a CanaVialis desenvolve variedades de cana por meio de cruzamento genético clássico – ou seja, com matéria-prima convencional. O braço de melhoramento genético por meio da biotecnologia da Votorantim Novos Negócios é representada pela Allelyx, companhia da qual Reinach é presidente. As duas companhias, juntas, investiram cerca de US$ 40 milhões em pesquisas genéticas.

Segundo Paulo Diniz, vice-presidente de finanças e de relações com investidores do Cosan, a companhia atualmente opera com 70 variedades de cana em suas usinas. “O elemento agrícola representa cerca de 70% dos custos dentro da usina. A escolha de uma determinada variedade depende do tipo do solo e da região”, afirmou ele.

O gigante sucroalcooleira também participa do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC, ex-Copersucar). De acordo com Diniz, a decisão de fechar contrato com a CanaVialis reforça o interesse da empresa em apostar no plantio de cana com “o mais moderno material genético desenvolvido no país”. Entre o material pesquisado pela CanaVialis estão variedades adaptadas para novas fronteiras agrícolas e à colheita mecanizada, cana mais precoce, variedades com maior produtividade, “energy cane” (para produção de álcool combustível).

A empresa conta, hoje, com quatro estações experimentais e uma estação de cruzamento e produção de cana em Maceió. Tem contratos firmados com 34 usinas, das quais metade pertencente ao Cosan, e atua em uma área que abrange a 593,5 mil hectares, com 54 milhões de toneladas de cana (equivalente a 5,2 milhões de toneladas de açúcar ou 1,8 bilhão de litros de álcool).

De acordo com Ricardo Madureira, presidente da CanaVialis, as pesquisas em melhoramento genético é “fundamental para o aumento da produtividade no canavial”. “O simples fato de se fazer o manejo adequado já se traduz em ganhos de produtividade”, afirmou ele. (MS)

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X