fbpx

“Cana Zoom” identifica melhores condições de clima para a colheita

1ª edição indica que o clima seco dos primeiros meses da safra 2020/2021 favoreceu o melhor aproveitamento de tempo

Clima seco favoreceu a colheita

Com periodicidade mensal, acaba de ser lançado o relatório “Cana Zoom”, que traz uma síntese das condições de colheita e do monitoramento agroclimático na região produtora de cana-de-açúcar no Centro-Sul do país.

Assim, o documento apresenta uma análise detalhada das principais variáveis agronômicas e climáticas que impactam a operação e a disponibilidade de matéria-prima.

O relatório é fruto de uma parceria da União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA), o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), o Sistema TempoCampo vinculado à ESALQ/USP e o Laboratório Integrado de Análise de Dados em Agronegócio e Bioenergia (LINEAR).

Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da UNICA lembra que o setor sucroenergético é estratégico para o Brasil no que tange a oferta plena de etanol e açúcar e tem compromissos com diversos países para entrega de contratos.

“Portanto, ter clareza dos efeitos do clima no desenvolvimento da planta e no andamento da colheita é essencial para garantir certa previsibilidade. O Cana Zoom condensa informações essenciais para o planejamento dos produtores”, avalia Rodrigues.

LEIA MAIS > OMS diz que o pior da pandemia ainda está por vir. E agora, qual é o futuro das usinas?

Dessa forma, o Cana Zoom reúne os principais especialistas e centros de pesquisa em cada temática para estruturar um amplo relatório sobre as condições da safra canavieira, com gráficos e tabelas comparativas.

Area colhida até maio deste ano apresentou crescimento de 11%

Os dados são apresentados de forma condensada da região Centro-Sul e por estado, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Em síntese, o material reitera o compromisso das entidades com a publicação de informações críveis e completas sobre o setor sucroenergético e estará disponível para consulta no Unicadata.com.br.

A primeira edição do Cana Zoom traz a indicação de que o clima seco dos primeiros meses da safra 2020/2021 favoreceu o andamento da colheita. Por outro lado, a falta de chuvas pode reduzir a produtividade da cana que está no campo.

Confira algumas conclusões apresentadas:

  • O aproveitamento de tempo em abril e maio ficou acima da média histórica atingindo, respectivamente, 85% e 86% na média do Centro-Sul.
  • Essa condição garantiu a operacionalização da colheita que avançou 12,3% em relação ao ciclo anterior (a moagem acumulada na safra 2020/2021 até o final da 2 ª quinzena de maio totalizou 144,88 milhões de toneladas).
  • Como resultado do clima mais seco e da maior velocidade da moagem, a área colhida até maio deste ano apresentou crescimento de 11% no comparativo com a safra 2019/2020, alcançando 1,71 milhão de hectares no Centro-Sul.
  • O melhor aproveitamento de tempo está relacionado ao clima seco observado desde o início desta safra até o final de maio. Em abril, o índice de precipitação pluviométrica ficou em 42 mm (55% abaixo da média histórica). Em maio, o índice atingiu 44 mm (41% inferior à média histórica). São Paulo foi o Estado mais afetado pela seca.
  • Essa condição climática estimulou a concentração de açúcares na planta. Na safra 2020/2021, o índice de concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar na região Centro-Sul alcançou 126,6, ante 118,6 observados do último ciclo, um crescimento de 6,7%.
  • O clima mais seco, entretanto, promoveu redução na expectativa produtividade da cana-de-açúcar colhida nos próximos meses.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

5 × 2 =

X