fbpx
JornalCana

Caeté e Marituba anunciam implantação de refinaria

Usinas começarão safra em setembro

As estratégias para a safra 2021/22 da Usina Caeté, Matriz (São Miguel dos Campos) e da Unidade Marituba (Igreja Nova), que se iniciará em setembro próximo foram apresentadas para os colaboradores durante evento realizado nessa terça e quarta-feira (24 e 25). Uma grande novidade para este ano, é o início da operação de uma refinaria na Unidade Marituba, concretização de um sonho do fundador do Grupo Carlos Lyra.

O diretor de Operações, Luiz Magno Epaminondas Tenório de Brito, afirmou que as expectativas são boas, com aumento previsto de moagem tanto na Caeté quanto na Marituba. “Teremos ainda um aumento de produtividade agrícola e de ATR, já que este tem sido um ano bom para a cana-de-açúcar aqui no Nordeste”.

Magno acrescentou ainda que a importância da modernização agrícola, com investimentos na área de fertirrigação, com a aquisição de novos equipamentos que estão chegando e a mudança da frota. Estamos conseguindo renovar e trabalhar com equipamentos mais novos”, declarou otimista.

De acordo com o diretor, a estimativa para a moagem da Caeté para a safra 2021/22 é de moagem de 1.815.000 toneladas de cana-de-açúcar; produzir 3.084.763 sacos de açúcar e 48.783.00 litros de etanol. Volumes que representam cerca de 10% a mais do que na temporada passada.

Já na Marituba o mix será mais alcooleiro. Com previsão de processar 1.160.000 contra 1.122.124 no ciclo passado, a unidade irá produzir 1.711.591 sacos de açúcar e 39.907.000 litros de etanol. Na safra 2020/21, a Marituba produziu 30.191.147 sacos de açúcar e 30.191.147 litros de etanol. “A unidade produziu até o ano passado, só açúcar VHP, agora, 20% do volume produzido será cristal e 80% açúcar refinado”,  explicou Magno.

Para o superintendente agroindustrial das Unidades do Nordeste, Mário Sérgio Matias da Silva, “o evento foi importante por ter representado uma espécie de pontapé inicial desta nova fase que a empresa está passando, reordenando toda a estruturação necessária para o início da nova moagem”. Mário Sérgio acrescentou a importância de que todos os gestores estejam alinhados nos assuntos referente à segurança, qualidade, performance e redução de custos.

“A união do setor agrícola com a indústria fortalece a equipe, porque todos estão unidos num mesmo objetivo, com foco e determinação para buscarmos sempre o melhor”.

LEIA MAIS > Cases mostram como maximizar produção de açúcar, etanol e bioeletricidade

Paulo Couto Ramalho de Castro, diretor Administrativo e de Suprimentos da companhia, reafirmou a satisfação de todos com mais um início de safra, onde os diferenciais nas áreas agrícola e industrial reafirmarão a solidez da empresa.

“O início de uma safra traduz um momento misto de euforia e esperança para todos que fazem parte da empresa e para toda a comunidade do seu entorno. O engajamento, a união e o comprometimento com a segurança serão essenciais para atingirmos as metas e os resultados planejados. Desejo a todos que fazem a Usina Caete, uma safra segura e de excelentes entregas”, finalizou.

Em Caeté, o evento foi realizado no auditório da Escola Conceição Lyra e, na Unidade Marituba, na Sala de Reunião da Indústria, ambos mantendo o que preconiza os protocolos sanitários. Participaram a gerente de Gestão de Pessoas, Marta Luciana Sampaio dos Santos; o gerente agrícola da Marituba, Rafael de Sá Bomfim; o gerente de Irrigação, Antônio Carlos Pimentel; os engenheiros agrônomos, Vinícius Santos Gomes da Silva, Saulo Ítalo de Almeida Costa e Jonas Carlos Santino Silva; o advogado, Bruno Mello e os engenheiros de Segurança do Trabalho, Edilson Junior da Silva Santos e Jameson de Oliveira Ramos.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram