fbpx

Biosul e Embrapa investem no combate à mosca-dos-estábulos

Termo de Cooperação foi formalizado entre as instituições

Podem ocorrer surtos em fazendas quando há destinação inadequada de resíduos em confinamentos – Foto: Gisele Rosso/Embrapa

De imediato, o objetivo é desenvolver novas pequisas sobre formas de combate à mosca-dos-estábulos [Stomoxys calcitrans].

Do mesmo modo, esse desenvolvimento é objeto de um Termo de Cooperação.

Quem integra esse Termo?

Quem integra esse Termo é a Biosul [Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul] e a Embrapa Gado de Corte [Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuária] ,

De acordo com a assessoria da Biosul, a parceria vai permitir avanço nas pesquisas que buscam soluções eficientes em armadilhas.

Essas soluções são para controle da mosca-dos-estábulos.

Reduzir infestações

Por consequência, o objetivo é reduzir a ocorrência de infestações e minimizar os impactos do parasita nas áreas de criação de bovinos próximas às lavouras de cana-de-açúcar.

Érico Paredes, da Biosul: novas pesquisas com a Embrapa (Foto: Divulgação)

Formalização

Por fim, Érico Paredes, gerente executivo da Biosul, explica que se trata da formalização de um trabalho que é feito há dez anos.

“O setor sucroenergético de Mato Grosso do Sul tem essa atenção com o tema desde os primeiros surtos que ocorreram em 2008 próximos às áreas de cana-de-açúcar, abrimos as portas para a pesquisa para então entendermos o surgimento de surtos da mosca”, destacou.

Por outro lado, Paredes continua: “desde então, trabalhamos em conjunto com todas as Associadas, entidades do setor da pecuária e pesquisadores.”

“É a primeira vez que formalizamos o termo de cooperação, com grande expectativa para que possamos continuar trabalhando juntos e intensificar essas ações visando o controle e manejo da mosca-dos-estábulos, não apenas na nossa região, mas também com o propósito de levar esse conhecimento para outras regiões do País que têm enfrentado problemas com o inseto”, afirmou o chefe geral da Embrapa Gado de Corte, Ronney Mamede.

Como funciona

De acordo com o Termo de Cooperação, as pesquisas serão realizadas durante o período de 12 meses, podendo o acordo ser renovado.

Avanço nas pesquisas

Os médicos veterinários da Embrapa Gado de Corte, Paulo Cançado e Thadeu Barros, serão os pesquisadores responsáveis pelas pesquisas.

Do mesmo modo, segundo Paulo Cançado, o termo de cooperação é a continuidade das pesquisas realizadas nos últimos anos.

Mais: agora buscará mais intensivamente alternativas de contenção da mosca afim de evitar novos surtos.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X