fbpx

Balança comercial do setor de cana confirma saldo negativo

A soja liderou o ranking de exportações pelo Porto de Santos em 2018 (Foto: Divulgação)

A redução das exportações de açúcar em 2018, por conta da menor produção e da maior disponibilidade de estoques externos, já era esperada.

Ao longo da safra de cana-de-açúcar 2018/19, as unidades produtoras migraram o mix para a maior produção de etanol.

Os efeitos desse comportamento produtivo, mais os do próprio mercado, impactaram na balança comercial do setor sucroenergético.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) apresenta o balanço referente ao mês de dezembro de 2018 por meio de dados apurados junto a órgãos relacionados do próprio governo federal.

Quebra

O saldo da balança de exportações do setor sucroenergético foi negativo em 31,7% no mês de dezembro.

Conforme o levantamento, os produtos do complexo sucroalcooleiro – que é como estipula o Mapa – totalizaram US$ 502,358 milhões em exportações no mês de dezembro.

No mesmo período de 2017, as vendas externas do setor somaram US$ 742,993 milhões, alta de 31,7% sobre dezembro de 2018.

Importações

Em relação às importações, o complexo sucroalcooleiro somou US$ 40,404 milhões em dezembro de 2017, contra US$ 75,555 milhões no mesmo mês de 2018.

Sendo assim, as importações cresceram 87% entre dezembro último e o mesmo período de 2017.

O levantamento do Mapa destaca, também, que o saldo da balança comercial do setor sucroenergético ficou em US$ 431,803 milhões em dezembro de 2018. Esse montante resulta da diferença dos volumes financeiros decorrentes das exportações (US$ 502,358 milhões) ante as importações (US$ 75,555 milhões).

Já em dezembro de 2017, a balança comercial totalizou US$ 702,589 milhões, resultado dos valores decorrentes das exportações (US$ 742,993 milhões) ante as importações (US$ 40,404 milhões).

Leia também: 

Produção de etanol de milho ganha impulso com maior oferta do cereal

 

Exportações do agro registram recorde

As exportações do agronegócio brasileiro bateram novo recorde em valor para o mês dezembro. No último mês de 2018, as vendas externas do agro atingiram US$ 8,69 bilhões.

Em relação ao recorde anterior de 2011, houve incremento de 21,1% ou, em valores absolutos, US$ 1,51 bilhão.

Com esse desempenho, a participação do agronegócio no total exportado pelo Brasil subiu de 39,4% em dezembro de 2017 para 44,4% em dezembro de 2018.

No que se refere às importações agropecuárias, verificou-se diminuição de 4,2% no período, caindo de US$ 1,18 bilhão em 2017 para US$ 1,13 bilhão no mês analisado.

Dessa forma, o saldo da balança comercial do agronegócio em dezembro de 2018 foi de US$ 7,56 bilhões, o maior superávit comercial registrado para mês desde o início da série histórica (1997).

Ranking

Os cinco principais setores do agronegócio, em relação ao valor exportado em dezembro de 2018, foram: complexo soja, com US$ 2,28 bilhões e 26,2% de participação; produtos florestais, com US$ 1,44 bilhão e participação de 16,5%; carnes, com US$ 1,30 bilhão e participação de 14,9%; cereais, farinhas e preparações, com US$ 803,54 milhões exportados e market share de 9,3%; e o setor cafeeiro, com vendas externas de US$ 608,83 milhões e participação de 7,0%.

 

 

Importações somam US$ 1,13 bilhão

No que se refere às importações do agronegócio, como já mencionado, atingiu-se a soma de US$ 1,13 bilhão.

Os principais produtos adquiridos no mês foram: trigo (US$ 145,18 milhões e +79,2%); álcool etílico (US$ 72,65 milhões e +91,3%); malte (US$ 49,90 milhões e -17,4%); papel (US$ 46,98 milhões e -23,2%); salmões frescos ou refrigerados (US$ 42,89 milhões e +5,4%); vestuário e outros produtos têxteis de algodão (US$ 39,31 milhões e +19,7%); óleo de palma (US$ 31,31 milhões e -31,0%); azeite de oliva (US$ 30,70 milhões e -30,4%); outros filés de peixe congelados (US$ 29,56 milhões e +4,0%); e vinho (US$ 29,53 milhões e -9,0%).

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X