fbpx
JornalCana

Avanço em indicadores estimula investimento em inovação

Governo disponibilizará R$ 60 bilhões para serem investidos em inovação, com a menor taxa de juros para esse financiamento: 4% ao ano

Pesquisa realizada pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia da Fiesp aponta que 64,5% das indústrias pretendem investir em inovação tendo o objetivo de ampliar a produtividade.

Foram ouvidas quase 400 indústrias de todos os portes a respeito de inovação e 69,1% delas possuem um plano ou estratégia para inovar nos próximos dois anos.

Entre as empresas que participaram do levantamento, 58,2% são motivadas pela redução de custos, enquanto 50,9% buscam pelo aumento nas vendas. Adicionalmente, para as grandes empresas, a digitalização e a transição para a indústria 4.0, a preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade aparecem entre os principais motivadores do investimento em inovação.

LEIA MAIS > Jalles Machado anuncia R$ 300 milhões em debêntures

Ao serem questionadas sobre a origem dos recursos para investimento em inovação, 57,9% pretendem investir com recursos próprios apenas. Bancos privados tradicionais, digitais e fintechs estão na lista de 19,4% das empresas, sendo apenas de 15,4% os que pretendem acessar o BNDES por meio de um agente financeiro, e 12,1% por meio de acesso direto ao banco público. Quando se consideram apenas as grandes empresas, o BNDES vai para o topo da lista.

Para a presidente do CEISE Br, Rosana Amadeu, os indicadores favoráveis, detectados no segundo trimestre de 2023, contribuem para ampliar o investimento em inovação visando o aumento da produtividade.

O PIB brasileiro cresceu 0,9% no 2º trimestre de 2023, após avançar 1,8% no trimestre anterior, considerando dados com ajuste sazonal. Este resultado veio próximo da projeção da FIESP (+0,8%) e acima da expectativa do mercado (+0,3%). Com este crescimento no 2º trimestre, o carregamento estatístico [1] para 2023 é de 3,1%.

LEIA MAIS > Etanol entra na agenda do Brasil para a cúpula do G20

A presidente do CEISE Br também destacou o anúncio realizado, no último dia 31 de agosto, pelo vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, da menor taxa de juros da história para financiamento à inovação para o setor industrial: 4% de juros nominais ao ano.

Em setembro serão disponibilizados para as empresas R$ 60 bilhões para inovação até 2026. Esse montante é dividido da seguinte forma: com 4% de juros (taxa referencial de 2% mais 2% de taxa de administração), são R$ 20 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e outros R$ 20 bilhões do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) via Finep. Pela Finep e que não precisam ser reembolsados, mais R$ 20 bilhões estarão disponíveis.

Para Rosana Almeida essa iniciativa deve contribuir para que as empresas possam ampliar seus investimentos em tecnologias que fortaleçam a produtividade com sustentabilidade.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram