fbpx

Aumenta o número de veículos-tanques fiscalizados pelo Ipem-SP

O balanço da fiscalização de novembro no transporte de produtos perigosos (combustíveis, ácidos e gases) pelas estradas do Estado de São Paulo revela um crescimento de cerca de 18% no número de veículos-tanques fiscalizados, passando de 235 caminhões fiscalizados em outubro para 277. Segundo o levantamento, houve ligeira queda nos autos de infração.

As ações realizadas pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo, Ipem-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, mostram, ainda, a emissão de 71 autos de infração e a apreensão de 29 Certificados de Inspeção de Produtos Perigosos – CIPPs, documento obrigatório para o transporte desse tipo de carga em território nacional.

Esse último levantamento demonstra uma ligeira queda em relação às estatísticas de outubro, quando 77 autos de infração foram emitidos e 36 CIPPs recolhidos.

Um dos objetivos do Ipem-SP neste ano é o de intensificar esse trabalho a fim de evitar possíveis acidentes envolvendo veículos-tanques, pois os danos ao meio ambiente e às pessoas, ao entrar em contato com esse material tóxico, podem ser fatais.

Transportar produtos perigosos requer uma série de cuidados e normas a serem seguidas. Os motoristas devem ter habilitação especial, os veículos necessitam passar por verificações e inspeções periódicas, a parte mecânica desses caminhões deve ser absolutamente correta, a indicação dos produtos transportados tem de estar legível e visível em pontos determinados das carrocerias – esses são alguns dos itens verificados nos cerca de 10 comandos mensais realizados nas estradas do Estado pelo Ipem-SP.

Durante as fiscalizações, um dos principais problemas identificados pelo Ipem-SP são as irregularidades mecânicas nos caminhões, o que, indiretamente, pode facilitar acidentes. Os erros mais comuns são pneus lisos, freios defeituosos, falhas elétricas, problemas nos amortecedores e suspensões. Já no transporte do produto, trincas e vazamentos são, com freqüência, encontrados nos cilindros dos caminhões. Essas falhas são consideradas gravíssimas e todas são passíveis de penalidades, como a emissão de autos de infração, o pagamento de multa e até a apreensão dos CIPPs.

Uma vez identificado o problema, e sendo esse considerado grave, os responsáveis pelos veículos-tanques têm de retirá-los de circulação, executar os reparos necessários e levá-los para inspeção em um dos Institutos de Pesos e Medidas no país para uma nova vistoria e a reabilitação do veículo.

Dúvidas, sugestões e reclamações sobre o transporte de produtos perigosos podem ser feitas ao 0800.13.05.22, de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 17h00. No www.ipem.sp.gov.br é possível ter outros detalhes sobre o setor e o Ipem-SP disponibiliza, ainda, o [email protected] para os internautas entrarem em contato com o Instituto.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X