fbpx

Asplan lança selo Pro-AR visando boas práticas na cultura canavieira

Iniciativa visa fortalecer mais a matéria-prima no mercado

A Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) firmou um convênio pioneiro em nível nacional, que vai instituir uma certificação para a matéria-prima produzida pelos seus associados.

O lançamento do selo Pro-AR/2030, que vai possibilitar certificar a cana-de-açúcar produzida na Paraíba, será lançado no próximo dia 09, às 14h, em solenidade na sede da entidade, em João Pessoa (PB).

O convênio foi formalizado com a Associação Centro Interdisciplinar de Pesquisa em Educação e Direito – CIPED, entidade que ficará responsável por executar o SELO Pro-Ar e conduzir os trabalhos de certificação que se dará através de mecanismos de controle de qualidade de produção, desde a plantação até a entrega da matéria-prima às indústrias.

“A proposta é realizar a certificação da matéria-prima seguindo os padrões internacionais de indicadores de produtividade, utilizado um banco de dados antifraude chamado Blockchain”, explica o diretor executivo do Programa Pro-Ar, Clynson Oliveira.

LEIA MAIS > USINA 4.0, a transformação digital da indústria

Segundo ele, o rastreamento da cadeia produtiva, desde a plantação até a entrega do produto na usina, vai agregar valor ao produtor, na medida em que o associado da Asplan terá sua cana monitorada e certificada com a adoção de boas práticas.

O presidente da Asplan, José Inácio de Morais, destaca que essa iniciativa vai valorizar ainda mais a produção canavieira paraibana e fortalecer o produtor que terá uma matéria-prima ainda mais valorizada no mercado.

José Inácio destaca avanços que o produtor terá com o selo Pro-AR

“Com essa iniciativa, o produtor canavieiro paraibano passa e a ter mais ganhos na venda de seu produto além da ATR, porque sabemos que a cana tem um valor agregado que extrapola, e muito, o açúcar que ela possui. Queremos ter acesso aos créditos do CBios, aos créditos de carbono e a ganhar em cima do valor agregado que nosso produto possui e a certificação de nossa produção com o SELO Pro-Ar, com certeza, será um passo importante neste sentido”, afirmou Morais.

O dirigente reitera que esse é um importante passo para tornar o produtor apto a transacionar crédito de carbono, além de levar sustentabilidade ao campo.

LEIA MAIS > ISO estima déficit de 724 mil toneladas de açúcar para a safra 2020/21

“Imagina que estamos criando um selo de qualidade para a nossa cana que vai balizar as boas práticas no campo, desde a plantação até a colheita e entrega da matéria-prima nas indústrias que, por sua vez, com o RenovaBio precisam estar em sintonia com as novas regras de sustentabilidade para poderem lucrar com os resultados destas boas práticas, então, na medida em que pleiteamos também ter ganhos com o programa, o fato de termos esse selo de qualidade já é um fator agregador de valor que será um facilitador para atingirmos nosso objetivo porque estaremos ampliando a credibilidade da cadeia produtiva paraibana”, finaliza.

 

 

 

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

5 × 1 =

X