Venda de etanol hidratado em novembro é a menor para o mês desde 2003

O volume de etanol hidratado negociado por usinas do estado de São Paulo em novembro foi o menor para o período desde 2003, segundo dados do Cepea. Isso é resultado da sequência de poucos negócios ao longo do mês e que envolveram quase sempre pequenas quantidades.

De acordo com colaboradores do Cepea, as menores vendas de etanol hidratado na ponta varejista estão atreladas à baixa competitividade do preço do biocombustível em relação à gasolina. Na parcial da atual safra 2021/22 (de abril a novembro/21), o Indicador CEPEA/ESALQ mensal do hidratado registra média de R$ 3,1582/litro, bem acima dos R$ 2,2170/litro em igual período de 2020 – alta real de 42,5%.

LEIA MAIS > Diretor executivo da Colombo leva prêmio de Mais Influente do Setor

No caso do anidro, a média do Indicador CEPEA/ESALQ está em R$ 3,5588/litro na parcial desta safra, 46,3% superior à do mesmo período da temporada anterior, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IGP-M de nov/21).

Especificamente na média das semanas cheias de novembro, o Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado fechou a R$ 3,7233/litro, avanço de 5,27% na comparação com a média das semanas de outubro.

No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ do anidro, considerando-se somente o mercado spot, teve média de R$ 4,3570/litro em novembro, elevação de 7,69% sobre a do mês anterior.

etanol