Usinas de cana esperam El Niño entre outubro a dezembro

Os impactos do fenômeno climático El Niño no setor sucroenergético são esperados entre outubro e dezembro de 2015.

“O El Niño deve impactar as usinas de cana-de-açúcar no último trimestre do ano”, afirma Plínio Nastari, diretor da consultoria Datagro. 

Segundo Nastari, caso a incidência do fenômeno climático ocorra, a tendência é de chuvas na região Centro-Sul e de estiagem nas regiões Norte e Nordeste.

Diante a expectativa de chegada do El Niño, representantes de usinas de cana-de-açúcar do país já refazem seus planejamentos.

Em Minas

Mário Campos, presidente do Siamig, sindicato das usinas sucroenergéticas de Minas Gerais, avalia que, por conta da possibilidade do El Niño, a moagem da safra 16/17 poderia superar as 61 milhões de toneladas de cana-de-açúcar da safra em andamento.

“Mas se o fenômeno trouxer chuvas, a quantidade de cana disponível para a próxima safra fica em dúvida”, diz. Segundo ele, a 16/17 pelo menos irá repetir a oferta de cana da safra 15/16 no estado.

Leia mais: Chuva atrasa safra de cana em Minas Gerais

Em Pernambuco

Já Renato Cunha, presidente do Sindaçúcar-PE, que representa as usinas sucroenergéticas de Pernambuco, avaliou para o Portal JornalCana que o fenômeno climático ainda é uma dúvida.

Conforme Cunha, não é possível estimar a chegada do El Niño

As regiões canavieiras do Nordeste tendem a sofrer com mais seca diante o El Niño

baseado apenas em projeções empíricas. De qualquer forma, caso o fenômeno ocorra, as regiões canavieiras de Pernambuco tendem a ser afetadas ainda na safra 15/16, iniciada neste mês de setembro no estado.

Leia mais: Safra de Pernambuco será mais alcooleira

Açúcarcanacana-de-açúcarEl niñoetanolfenômenoMário CamposRenato Cunhasetor sucroenergéticoSiamigSindaçúcar-PEUsinausinas