Socicana fecha parceria que permitirá a seus associados ingressar no mercado de carbono

Acordo firmado tem como alvo a redução de emissão de gases de efeito estufa

A Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba (Socicana) fechou um acordo com a  chocolateira suíça Barry Callebaut, para apoiar a redução de emissões de gases de efeito estufa dos produtores associados. A companhia terá preferência na compra de créditos de carbono que serão gerados após medidas de mitigação do impacto climático da atividade

Não há um volume preestabelecido de emissões a serem mitigadas. As estratégias para diminuir as emissões estão em estudo, mas devem passar por substituição de fertilizantes nitrogenados e de agroquímicos, diminuição do consumo de diesel, aumento da absorção de carbono pelo solo e recuperação de vegetações nativas.

LEIA MAIS > Com lento ritmo de negócios, cotações do etanol seguem estáveis

Outras medidas que podem ser sugeridas são o uso de drones para a aplicação de inimigos biológicos em vez de agroquímicos com o uso de máquinas. Também serão estudadas formas de sistematizar o desenho das linhas de cana no solo para otimizar o trabalho das máquinas e o uso de palha no solo para fixar carbono.

Os associados da Socicana interessados em participar receberão apoio técnico da Barry Callebaut para a definição das estratégias de ação. A companhia também bancará os custos de certificação do crédito de carbono que será gerado com as medidas.

Uma consultoria especializada será contratada para medir as emissões antes e depois de os produtores adotarem as ações de mitigação. Podem ser contratadas consultorias como Verified Carbon Standard (Verra) e Gold Standard.

LEIA MAIS > Fundação Solidaridad aponta experiências ESG no setor sucroenergético
Rafael Kalaki

A adesão dos produtores da Socicana será voluntária, e os créditos vendidos, rateados proporcionalmente à participação de cada um no corte das emissões.

A parceria faz parte da estratégia da Barry Callebaut para alcançar sua meta de redução de 30% das emissões de carbono até 2025, estabelecida conforme a Science Based Targets Initiative (SBTi), e de ser “positiva” em carbono.

Para isso, a empresa suíça, responsável por 25% do chocolate produzido no mundo e que fornece principalmente para outras indústrias, também vem trabalhando com produtores de outras cadeias, como óleo de palma e cacau.

Quem optar pelo programa com a Barry Callebaut, porém, não deverá contar com o benefício do RenovaBio, explicou Rafael Kalaki, superintendente da Socicana. A associação preferiu separar os dois tipos de remuneração para evitar o risco de ser considerado como “dupla contagem” na redução de emissões.

 

Barry CallebautCarbonoemissõesSocicana