Secretário adjunto de Biocombustíveis do MME é exonerado

Pietro Mendes atribui exoneração a declarações dadas durante participação em evento do setor bioenergético em Campo Grande - MS

O secretário-adjunto da Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, Pietro Mendes, foi exonerado do cargo nesta segunda-feira, dia 13.

Em nota por ele divulgada, Mendes atribui a sua demissão por conta de uma entrevista concedida ao jornal Valor Econômico e por declarações dadas durante participação em um seminário do setor bioenergético em Campo Grande – MS.

Na ocasião, ele disse que as discussões sobre o pacote de redução de impostos dos combustíveis, anunciado pelo Governo Federal na semana passada, traz, de fato, uma ameaça à competitividade da indústria de etanol. E defendeu que a PEC dos Biocombustíveis é uma “medida estruturante” que pode contribuir para a racionalização do setor.

LEIA MAIS >Volume negociado de CBIOs já representa 52,72% da meta de aquisição total para 2022

Ao Valor Econômico, após participar do evento, afirmou que espera que os preços de todos os combustíveis caiam nas bombas e que não acredita que as mudanças tributárias em discussão, impactarão na oferta de Créditos de Descarbonização (CBIOs).

“Comunico que fui exonerado pelo ministro Adolfo Sachsida, na data de hoje (segunda-feira), em função da entrevista. Entendo que não falei nada demais, mas não cabe essa discussão. Faz parte da dinâmica de quem aceita os cargos de livre nomeação/exoneração”, relatou Mendes na mensagem.

Pietro Mendes assumiu o cargo em fevereiro deste ano, quando o ministério ainda estava sob o comando de Bento Albuquerque – exonerado em maio, em meio à crise desencadeada pelo reajuste de 8,9% do diesel, pela Petrobras, no início de maio.

 

 

 

etanolMMEPietro Mendes