RIDESA e PMGCA da UFRPE apresentarão três novas variedades RB

A liberação ocorrerá em eventos realizados em Pernambuco e em Alagoas

A Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (RIDESA) e o Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-açúcar – PMGCA da Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE vão realizar, nos dias 26 e 28 de outubro um evento de liberação regional de variedades RB.

Os eventos acontecem na Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco – AFCP no dia 26, em Recife, às 14h, e na Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba – Asplan, no dia 28, em João Pessoa, às 9h30. As três variedades são RB943047, RB021754, e RB041443, sendo esta última uma das mais promissoras para a Paraíba e plantada com sucesso, por exemplo, na Usina Monte Alegre.

Segundo o Coordenador de Melhoramento da Ridesa – PE, Djalma Euzébio Simões Neto, das 21 variedades lançadas e liberadas pela Ridesa em todo o país, três delas são direcionadas ao Nordeste.

LEIA MAIS > As usinas com melhor performance serão destacadas no MasterCana Centro-Sul

As novas variedades se destacaram nos ensaios experimentais demonstrando serem clones promissores e durante os eventos os pesquisadores da Ridesa farão a apresentação de cada uma.  “A RB041443 é, sem dúvida, uma grande oportunidade para manejo diante do padrão que se tem que é a RB 92579”, comentou Djalma.

Com 10 mil hectares plantados nos tabuleiros costeiros do Nordeste, a variedade 041443 possui alta produtividade, crescimento ereto, baixo florescimento e é resistente às principais pragas que acometem a cana, inclusive a nematoide.

Os dados médios de rendimento mostram que é superior em mais de 20 toneladas ao padrão 92579. As curvas de adaptabilidade da planta são parecidas com a RB 92579, no entanto, a 041443 se mostra superior à 92579 em outras fases da safra. Na Usina Monte Alegre, na Paraíba, já é possível ver o sucesso dessa variedade.

A RB 943047 também possui alta produtividade, crescimento ereto, baixo florescimento e resistência às principais doenças. O estudo de adaptabilidade e estabilidade mostrou que a variedade é ligeiramente superior a ambiente restritivo e substancialmente superior em ambientes favoráveis frente ao padrão da região RB 92579. A RB 021754 também traz a alta produtividade, florescimento baixo e a resistência às principais doenças que afetam a cana-de-açúcar.

LEIA MAIS > Usinas do Norte e Nordeste devem aumentar a oferta de etanol no ciclo 2021/22
Djalma Euzébio Simões Neto

Sua curva de adaptabilidade é bem parecida com a 92579 e ela rende 97 toneladas por hectare, superando o rendimento regional em oito toneladas. Ela, sem dúvida também se mostra mais uma opção para o manejo.

Durante o evento de liberação dessas variedades, o produtor vai conhecer em detalhes cada uma delas com as palestras técnicas: “Estação de floração e cruzamento de devaneio”; “Resultados de clones promissores” e “Censo varietal 2020/2021”.

Para o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, essa é uma oportunidade que o produtor canavieiro associado não pode perder. “A cada dia que passa estamos em busca de melhorar a produtividade de nossa cana, ou seja, queremos crescer verticalmente, em qualidade de cana e não em quantidade de cana, horizontalmente. Essa é uma oportunidade para conhecer o que as pesquisas e experimentos da Universidade tem para nos ajudar para melhorarmos nossa produção”, comentou o dirigente, convidando os associados para o evento do dia 28.

cana-de-açúcarprodutividadeRidesa