Raízen recebe aprovação final do Cade para aquisição da Biosev

Consumação da transação depende ainda de alguns fatores

A Raízen recebeu a aprovação final do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a aquisição da Biosev, informou a companhia nesta quinta-feira (18).

A negociação já havia sido aprovada sem restrições, no início de março. “A transação da companhia com a Biosev tornou-se final e definitiva após o decurso do prazo de 15 dias contado da publicação da referida decisão no Diário Oficial da União, em 02 de março de 2021, nos termos da legislação aplicável”, informou a Raízen em comunicado assinado por Guilherme José de Vasconcelos Cerqueira, vice-presidente de Finanças e diretor de Relações com Investidores.

A Raízen ressalta ainda, que a consumação da transação permanece sujeita ao cumprimento de outras condições precedentes, incluindo, dentre outras, a conclusão da reorganização societária da Biosev e a sua reestruturação do endividamento financeiro.

LEIA MAIS > Safra global 2021/22 poderá ter superávit de 3 milhões de toneladas de açúcar

Anunciada no dia 8 de fevereiro, a aquisição ocorrerá por meio de uma combinação de negócios envolvendo, de forma eficiente, uma troca de ações, com emissão de 3,5% de ações preferenciais da Raízen e o pagamento de R$ 3,6 bilhões para refinanciamento de dívida.

Com a integração, a Raízen passará a contar com um total de 35 unidades produtoras, totalizando uma capacidade instalada de 105 milhões de toneladas de cana, volume que representará aproximadamente 15% da moagem e biomassa do Centro-Sul e, cerca de 1,3 milhão de hectares de área cultivada. A produção de açúcar será de 4,954 milhões de toneladas, a de etanol, 3,844 milhões de litros e a de eletricidade, 3,000 mil mwh.

 

AçúcarBiosevenergiaetanolraizen
Cometários (0)
Adicione Comentário