Projetos para custeio da safra ultrapassam R$ 16 mi na PB

A Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), por meio do Departamento Técnico (Detec), elaborou, este ano, 86 projetos, sendo 67 de custeio e 19 de investimento, e chegam ao montante de R$ 16.699.137,65. As instituições financeiras que este ano receberam projetos de financiamento ou de custeio de safra de cana-de-açúcar foram Banco do Brasil (BB), Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Bradesco e, recentemente, a Caixa Econômica Federal (CEF). Esses projetos são parte 

O Banco que mais recebeu propostas foi o BNB, com 36 projetos de custeio de safra e seis de financiamento, totalizando 41 projetos. Juntas essas propostas chegaram ao valor de R$ 10.677.354,58. Ao BB foram enviados 18 projetos de custeio e oito de financiamento. O banco é o segundo em número e valor total das propostas, que chegou a R$ 3.163.183,75. Já o Bradesco está em terceiro lugar, com nove projetos de custeio e cinco de investimento, totalizando R$ 1.895.608,47. Por fim, à CEF foram remetidos quatro projetos de custeio de safra com valor total de R$ 962.990,85. O valor final foi de R$ 16.699.137,65.

Em 2011 a entidade foi responsável pela elaboração de 78 projetos técnico/financeiro para a aquisição de recursos direcionados ao investimento e custeio da safra de cana-de-açúcar na Paraíba. As propostas formatadas pela Asplan somaram um total de R$ 22.748.890,54, sendo que mais de 85% desse valor, cerca de R$ 19,699 milhões, foram destinados apenas para custeio e manutenção dos canaviais. Na época, todos os projetos foram expedidos para o Banco do Brasil (BB), Banco do Nordeste do Brasil (BNB), HSBC e Bradesco.

O presidente da entidade, Murilo Paraíso, destaca que para desenvolver um projeto similar a esses já elaborados pelo Detec, as empresas particulares que atuam no mercado local cobram uma percentagem em cima do valor financiado. “A nossa proposta não é obter lucro, mas sim, oferecer mais esse suporte técnico-administrativo ao produtor para que ele possa, cada vez mais, investir e melhorar sua produtividade”, observou Murilo. Produtores não associados também podem utilizar os serviços da Asplan, mas, neste caso, será cobrado o valor de mercado.

Uma medida importante aos interessados na elaboração de projetos é que antes de se dirigirem à Asplan os associados passem em uma das instituições financeiras para atualizar os dados cadastrais. O Detec da Asplan funciona de segunda-feira a sexta- feira, das 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00, e fica localizado no prédio sede da entidade, na Rua Rodrigues de Aquino, 267, no Centro de João Pessoa. Maiores informações pelo telefone (83) 3241-6424.