Preços do etanol reduzem com a perda de competitividade

Indicadores têm as maiores desvalorizações desde o início da safra 21/22

Após duas semanas com o mercado spot do etanol hidratado aquecido no segmento produtor do estado de São Paulo, a situação se inverteu. O número de negócios e o volume comercializado caíram nos últimos dias, e os preços do biocombustível acompanharam esse movimento.

De acordo com colaboradores do Cepea, a recente alta nas bombas, que acentuou a perda de competitividade do etanol hidratado frente à gasolina, reduziu a demanda pelo biocombustível, pressionando as cotações.

Já a oferta do etanol hidratado se elevou, aumentando a pressão sobre os valores. Assim, entre 17 e 21 de maio, o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado fechou a R$ 2,9107/litro, recuo de 4,53% frente à média da semana anterior.

No caso do etanol anidro, a queda foi de 2,33%, no mesmo comparativo, com o Indicador CEPEA/ESALQ fechando em R$ 3,4120/litro. Essas são as baixas mais expressivas para os dois tipos de etanol desde o início da temporada 2021/22.

LEIA MAIS > Tecnologia Dedini pode ajudar Brasil a cumprir pacto pelo clima

Já no caso do açúcar, mesmo com todas as usinas do estado de São Paulo já em produção, a oferta do açúcar cristal Icumsa até 180 desta safra 2021/22 segue restrita.

Algumas usinas, inclusive, não sabem se terão açúcar disponível para vendas no spot, devido à necessidade de cumprir contatos efetivados com os mercados interno e externo.

Segundo colaboradores do Cepea, o clima seco do ano passado acabou atrasando o início da temporada atual, o que tem limitado a oferta do adoçante no mercado.

A liquidez, por sua vez, esteve um pouco mais baixa nos últimos dias. Assim, entre 17 e 21 de maio, a média do Indicador CEPEA/ESALQ, cor Icumsa de 130 a 180, foi de R$ 115,27/saca de 50 kg, alta de 0,23% em relação à da semana anterior.

 

 

Cepeacotaçõesetanol