País não pode ser importador de gasolina, afirma Mario Campos

Eleito o Líder do Ano pelo Prêmio MasterCana Centro-Sul 2015, Mario Campos, Presidente do Siamig, afirmou que as políticas para inserção do etanol no Estado de Minas Gerais contribuem  não apenas para o desenvolvimento do setor, mas também para aliviar a balança comercial do país.

O Estado  reduziu a alícota de ICMS sobre o etanol de 19% para 14%. A medida contribui para elevação do consumo do biocombustível, que apresentou aumento de 170% em maio, mês no qual foram consumidos 142,8 milhões de litros, ante os 52,8 em igual período em 2014.

“Temos o maior diferencial de alícota de ICMS para gasolina no setor, ainda batemos recorde nas vendas. Minas Gerais é o terceiro maior produtor de etanol no país e deu o exemplo ao mudar este mercado e o fluxo logístico”, explica.

Segundo Campos, o crescimento da participação do etanol na economia nacional é responsável pela menor dependência de gasolina importada , onerosa para os caixas públicos. O consequente estímulo do setor é uma ferramenta para o desenvolvimento nacional. “Temos que conquistar e evidenciar as externalidades que a nossa atividade possui para o desenvolvimento do país. Se continuarmos desta forma o país será importador de gasolina e não podemos deixar isto acontecer, é obrigação de qualquer governante salvar o setor, pois este alivia a economia nacional”.

 

 

etanolMário CamposMasterCana Centro-SulSiamig