O que o etanol de milho tem a ensinar ao etanol de cana?

Características do processo de produção como, por exemplo, a fermentação, podem contribuir com produção do biocombustível de cana
Produção de etanol de milho pode ensinar muito aos produtores de etanol de cana

Recentemente, o presidente da União Nacional do Etanol de Milho (Unem), Guilherme Nolasco, afirmou que em conversa com produtores norte-americanos e com representantes dos Estados Unidos estão temerosos quanto ao crescimento da produção de etanol de milho no Brasil.

LEIA MAIS > Usina aumenta produção de etanol orgânico e mostra como rentabilizar com o produto

Sua posição a partir disso foi defender a criação de uma agenda global do etanol, para que se amplie a participação desse biocombustível em diversos países importantes, como Índia e China, e suprir a demanda desses gigantes. 

LEIA MAIS >  Caminhos para eliminar custos e aprimorar o processo fermentativo em usinas de cana

Em entrevista a Globo Rural, Nolasco afirma que “desde que o setor começou a se organizar, a ideia era surfar na onda da economia verde, sendo um biocombustível que mitiga mais de 70% dos gases do efeito estufa em relação à gasolina”.

Finguerut, do ITC

De fato, a produção de etanol de milho desperta a atenção do mercado. Mas seu processo de produção também merece atenção dos produtores de etanol de cana. O pesquisador Jaime Finguerut explica que a razão para isso é que a produção de etanol de milho tem muito a ensinar ao setor bioenergético.

Segundo ele, ao observar o processo de produção de etanol de milho nota-se possibilidades estratégicas como, por exemplo: “Para amortizar os investimentos é necessário operar o ano todo; que se pode operar como uma usina e que é necessário ter o máximo teor alcoólico possível e valorizar todos os subprodutos do processo”, dentre outras considerações.

Finguerut, que é diretor do Instituto de Tecnologia Canavieira, traz os detalhes completos durante o 9º SINATUB Processos, Fermentação e Produção de Etanol – 2ª Sessão, que acontece amanhã, 14/7, às 19h. O painel online terá as presenças de: 

Daniel Fernandes, engenheiro químico da Soteica 

Giovanni Rabesco, gestor de produção de etanol e projetos da Goiasa 

[Participação Especial de] Jaime Finguerut, diretor do ITC – Instituto de Tecnologia Canavieira

Inscreva-se para assistir Ao Vivo e Gratuito: jornalcana.com.br/webinar

Patrocínio: 

AxiAgro – Otimizar o uso de máquinas e equipamentos é estratégico para a competitividade das usinas. Neste sentido, sua usina merece muito mais do que computador de bordo e telemetria, merece inteligência e conectividade sem limites!

HRC — Conheça o Clean Cut, programa de desenvolvimento de alta performance da colheita mecanizada.

Química Real –  A melhor opção para a fermentação.

S-PAA Soteica – Software de Otimização em Tempo Real presente em mais de 60 usinas, que maximiza a cogeração e a eficiência industrial, gerando ganhos superiores a R$ 1/tc. Saiba mais no site usina40.com.br  

Etanol de milhofermentação