Novas soluções reduzem custo de enzimas para etanol 2G

Apesar de estar ainda dando os seus primeiros passos no mercado sucroenergético, a tecnologia de produção de etanol de segunda geração já tem alguns desafios que precisam ser superados. Um dos principais é conseguir um custo competitivo em relação ao etanol de primeira geração.

Existe hoje um grande esforço que inclui a realização de estudos, pesquisas e experimentos, visando tornar o processo de produção de etanol celulósico cada vez mais eficiente e viável economicamente. Para isto, está sendo necessário, por exemplo, criar condições para a produção de enzimas com preços mais acessíveis.

Novas soluções nessa área estão derrubando barreiras que têm atrapalhado a decolagem do etanol 2G. O CTBE – Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol, localizado em Campinas, SP, conseguiu em sua pesquisa a diminuição do custo da enzima para menos de US$ 0,10 por litro de etanol, beirando US$ 0,05 por litro, a partir da melhoria dos microorganismos, dos coquetéis e do processo de produção.

Leia matéria completa clicando aqui.

enzimasetanol 2Gmicroorganismos