Nordeste protestará veto de Dilma durante eventos regionais

Depois do veto da presidente Dilma Rousseff em relação ao subsídio econômico destinado aos 21 mil produtores nordestinos de cana atingidos seca, a União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida) e os órgãos de classe do setor nos estados da região prometem protestos de repúdio diante da insensibilidade presidencial.

“Mostraremos nossa insatisfação seja em PE, ou em qualquer outra evento presidencial no NE”, avisa Alexandre Andrade Lima, presidente da Unida, indignado com o veto.

O dirigente destaca que o agricultor nordestino pena com a desatenção do Palácio do Planalto, além de sofrer com a seca. Ele pontua que desde março do ano passado, mês em que deixou de chover na região, nenhum ministro da Agricultura veio conhecer as mazelas da estiagem. Além do mais, a chefe do Brasil ainda é veta medidas paliativas para atenuar os prejuízos provocados.

“A presidente teve nosso voto nas eleições e nega ajuda aos que precisam. Vamos nos unir para reverter essa situação drástica. Infelizmente, já perdemos até a próxima safra”, aponta Gerson Carneio Leão, presidente do Sindicape – Sindicato dos Cultivadores de Cana-de-Açúcar de Pernambuco.

Os motivos da ação foram publicados no Diário Oficial da União, sendo o limite orçamentário um deles.

Gerson Carneiro Leão, do Sindicape

Cana UnidaGerson Carneio LeGerson Carneiro LePE