Morre o especialista em agrometeorologia Paulo Sentelhas

Professor foi secretário da Sociedade Brasileira de Agrometeorologia

Paulo Sentelhas, especialista em agrometeorologia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) faleceu nesta terça-feira (21). Sentelhas estava internado tratando-se contra a Covid-19, mas não resistiu. Ele era casado e pai de três filhas.

Docente do departamento de Engenharia de Biossistemas da Esalq, era referência no impacto das condições climáticas sobre diversas culturas agrícolas, inclusive foi fonte de muitas matérias do JornalCana.

“Neste momento de tristeza e dor, manifestamos nossas condolências aos familiares e amigos”, manifestou-se a Esalq em nota. A morte do professor também foi lamentada por outras entidades e lideranças do agro, como o professor Marcos Fava Neves. “Uma perda gigante ao agro brasileiro, grande agro-meteorologista, educador, formador, palestrante, consultor e sem dizer do pai, filho… Dividi diversos eventos com ele, que tristeza. Deixa um legado incrível”, ressaltou em suas redes sociais.

LEIA MAIS > Mercado global de carros elétricos deve movimentar US$ 7 trilhões até 2030

Paulo Cesar Sentelhas era formado em Engenharia Agronômica pela Universidade de Espírito Santo do Pinhal (UNIPINHAL) – Faculdade de Agronomia e Zootecnia Manoel Carlos Gonçalves (1987). Fez mestrado em Agronomia (Agrometeorologia), 1992, e doutorado em Agronomia (Irrigação e Drenagem), 1998, ambos pela Esalq. Fez pós-doutorado na Universidade de Guelph, no Canadá, de março de 2003 a outubro de 2004, e no consórcio Universidade de Guelph – Weather Innovations Incorporated em 2008, onde atuou como pesquisador visitante. Obteve o título de Livre-Docente em Agrometeorologia na Esalq em dezembro de 2004. Atuou como pesquisador no IPMET/UNESP (1988-1994) e no IAC (1994-1996). Desde março de 1996 era professor da Esalq e ocupava atualmente o cargo de Professor Titular da área de Agrometeorologia.

Foi secretário da Sociedade Brasileira de Agrometeorologia de 1995 a 1997 e de 2001 a 2003 e seu presidente no biênio 2005-2007, quando também atuou como presidente da Federação Latinoamericana de Agrometeorologia.

Tinha atuação destacada na área de Agronomia, com ênfase em Agrometeorologia. Como docente, lecionava na graduação as disciplinas Meteorologia Agrícola e Agrometeorologia Aplicada e, na pós-graduação, a disciplina Agrometeorologia e Doenças de Plantas.

LEIA MAIS > Hidrogênio verde: entenda o potencial da célula de combustível por etanol

De 2013 a 2015 foi Editor Científico da revista Scientia Agricola, Esalq, sendo a partir de Julho de 2015 o Editor-Chefe da mesma. Atuava como Editor Associado da International Journal of Biometeorology (ISBM – Springer) e como membro dos comitês editorias da Italian Journal of Agrometeorology (SIA, Itália), International Journal of Plant production (IJPO – Springer), Applied Sciences (Springer) e AgriScientia (Univ. de Córdoba, Argentina). De 2005 a 2013 atuou como representante do Brasil junto ao Grupo de Especialistas em Agrometeorologia da Organização Mundial de Meteorologia (OMM-ONU). Era membro da SBAgro (Sociedade Brasileira de Agrometeorologia) e da INSAM (International Society of Agricultural Meteorology). De 2012 a 2016 foi membro do Comitê Julgador do Mumm Award da OMM e de 2014 a 2016 do juri do Environmental Respect Award da DuPont-Brasil. Em 2019 recebeu o Prêmio Sergio Westphalen da SBAgro como reconhecimento por suas contribuições para a área de Agrometeorologia do Brasil.

Sentelha foi doze vezes professor homenageado pelas Turmas de Engenharia Agronômica, autor de 224 artigos, orientador de 30 mestres e 28 doutores e 5 pós-doutorandos e 90 graduandos., tendo cultivado uma legião de amigos ao longo de sua vida.

 

 

 

COVID-19EsalqPaulo Sentelhas