Minas Gerais: preço do etanol despenca para usinas, mas redução não chega ao consumidor final

Campos, da Siamig: preço baixo não repassado prejudica os produtores

O preço do litro do etanol hidratado pago para usinas de cana-de-açúcar de Minas Gerais caiu R$ 0,30 entre o início de janeiro e o começo deste mês de março.

A queda de preços, no entanto, não chegou ao consumidor final, segundo a Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig).

Conforme a entidade, no começo de janeiro o preço do litro do etanol na indústria era de R$ 1,86 (sem impostos) e, na semana passada, estava a R$ 1,56, enquanto que, na bomba, o combustível limpo e renovável estava a R$ 2,91 em janeiro e na semana passada a R$ 2,90 o litro, praticamente estável.

Baixa demanda

Segundo Mário Campos, presidente da Siamig, a redução do preço do etanol na indústria se deu em função da baixa demanda do etanol neste período de entressafra, somada à grande quantidade de importação do produto no início deste ano – somente nos primeiros meses deste ano, foram importados 450 milhões de litros –  o que prejudicou a demanda por parte do etanol das usinas produtoras.

A redução na bomba propiciaria um consumo maior do etanol e a orientação da Siamig é que os consumidores façam a conta do rendimento do próprio veículo, sem se ater somente à convenção de que o etanol é mais rentável se ficar em 70% do preço da gasolina.

A relação de preço poderia ser ainda melhor para o consumidor se o governo federal não tivesse recomposto o PIS/COFINS no valor de R$ 0,12 por litro de etanol, a partir de primeiro de janeiro deste ano.

Conforme a Siamig, algumas usinas em Minas Gerais deverão iniciar a safra este mês e essa demora no repasse da queda dos preços prejudica muito o produtor e, principalmente, o consumidor.

etanolhidratadoMário CamposMinas GeraisSiamig