Harmonizar pessoas e tecnologia: o grande desafio da gestão da mudança

Às voltas com a transformação digital, as usinas buscam o equilíbrio no ambiente de trabalho para não perder a produtividade

Existe gestão da mudança sem transformação digital? Toda transformação é positiva? O ser humano pode ser 4.0? A tecnologia harmoniza ou desestabiliza o ambiente de trabalho? E a rentabilidade, onde ela entra nisso tudo? Essas foram algumas indagações e provocações levantadas durante o webinar “PESSOAS & TECNOLOGIA – A Jornada das Usinas na Transformação Digital e Gestão da Mudança” em mais uma edição da Quarta Estratégica, promovida pelo JornalCana, no dia 1º de setembro.

O webinar contou com a participação de Beatriz Rezende, consultora organizacional e conselheira de carreira da Dra. Empresa; Genésio Lemos Couto, consultor e Conselheiro Empresarial, autor do livro “Luz, Câmera e Gestão”; Maureen Vaccari Grassi, especialista de projetos do Grupo Tereos e Josias Messias, diretor do ProCana Brasil.

Ao longo de quase 3 horas de duração, os especialistas debateram sobre os desafios enfrentados pelas usinas do setor sucroenergético, para não perder a corrida da inovação tecnológica, sob o risco de comprometer a produtividade. Patrocinado pelas empresas AxiAgro e S-PAA Soteica, o webinar foi conduzido pelo jornalista Alessandro Reis do JornalCana.

Para a consultora organizacional Beatriz Rezende, o processo de mudança não vai mais caminhar sem a transformação digital, que embora carregue uma perspectiva de futuro, já se faz presente em nosso dia-a-dia. Segundo ela, a ansiedade é um dos grandes males a ser combatido nessa nova realidade do ambiente profissional.

LEIA MAIS > Bioenergia é destacada como fator decisivo na diminuição da emissão de carbono

Genésio Lemos Couto chamou a atenção para um estudo que aponta o Brasil como o país mais complexo para se fazer negócios, o que por si só, torna cada vez mais necessária a transformação digital. “Aliás o ideal seria evolução digital, porque na verdade nem toda transformação pode ser considerada positiva”, alerta o especialista.

No Grupo Tereos as pessoas são o foco da transformação. Segundo Maureen Vaccari Grassi o projeto de gestão de mudança envolve 10% de tecnologia, 30% se refere a processos e modelo operacional e 60% da transformação está relacionada a pessoas e habilidades. “Quem está por trás de todas tecnologias, que facilitam as nossas decisões, são as pessoas”, disse.

O diretor do Procana e jornalista Josias Messias ponderou que a transformação digital é uma realidade inevitável no setor sucroenergético. Segundo ele, nas usinas ela passa por três fundamentos: Objetivo estratégico, Pessoas e Cultura. Messias também expôs os 7 erros mais comuns, e que devem ser evitados, na Transformação Digital nas usinas.

Quer saber mais sobre os assuntos debatidos na ocasião? Assista ao webinar completo:

gestãotecnologiaTransformação digital