‘Etanol Mais Verde’ evita a emissão de 12,04 milhões de toneladas de GEE

Programa completa 15 anos e é considerado um sucesso  

A solenidade Protocolo Agroambiental Etanol Mais Verde – 15 anos de compromisso com a sustentabilidade realizada nesta quarta-feira, dia 29 de junho, na Secretaria de Agricultura de São Paulo, teve como finalidade comemorar os 15 anos do programa, que tem como objetivo estimular as melhores práticas agroambientais e a sustentabilidade da cadeia produtiva da cana-de-açúcar, como também, solucionar os desafios comuns do setor sucroenergético, buscando avanços na área ambiental, social e econômico em todo o Estado de São Paulo.

Na oportunidade foi assinada, pelo coordenador da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, Alexandre Grassi, a portaria CATI 12/2022, que designou os membros do Grupo de Trabalho para planejamento e execução de ações relacionadas ao Protocolo Etanol Mais Verde.

LEIA MAIS > Senado aprova PEC que prevê auxílios contra o impacto dos preços dos combustíveis

Carol Matos, diretora técnica do Centro de Agroecologia e Serviços Ambientais da CATI, relatou o começo do programa e sua evolução com as novas diretivas técnicas. “Hoje as signatárias do Protocolo continuam processando cerca de 90% da cana-de-açúcar produzida no estado”, afirmou.

Segundo ela, desde o início do Protocolo, houve a eliminação da queimada e deixou-se de emitir 72,4 milhões de toneladas de poluentes atmosféricos (monóxido de carbono, material particulado e hidrocarbonetos) e 12,04 milhões de toneladas de gases de efeito estufa (GEE). “É o equivalente a emissão de 210 mil ônibus circulando por 1 ano”, comparou ela.

A área restaurada cumulativa estimada desde o início do Protocolo é de 30 mil hectares, com mais de 50 milhões de mudas de árvores nativas plantadas, de acordo com Carol.

Sobre a prevenção e combate a incêndios, um tema muito relevante para a Secretaria, Carol Matos informou que cerca de 90% das usinas e associações signatárias já participam de Organismos de Cooperação Mútua (OCM), como também dos Planos de Auxílio Mútuo (PAM) e Rede Integrada de Emergência (RINEM).

LEIA MAIS >Usina Santa Adélia consegue financiamento de US$ 50 milhões

Em sua fala, o secretário de Agricultura e Abastecimento, Francisco Matturro, enfatizou especialmente as parcerias. “Tudo que fazemos em parceria é um negócio que dá certo. O secretariado e nossas empresas trabalham muito unidos. Na Agrishow fizemos parceria com o setor privado e o Governo do Estado”, exemplificou. “São muitas as ações da Secretaria, mas a principal é a parceria, porque sozinho não se vai a lugar nenhum. Nosso setor investe com competência e inteligência para buscar resultados”, prosseguiu.

Francisco Matturro

Já o coordenador da CATI, Alexandre Grassi, ressaltou que a Coordenadoria tem apoiado o programa ‘Etanol Mais Verde’, que é de extrema importância para o Estado de São Paulo.

O diretor da Orplana, Eduardo Vasconcelos Romão, pontuou que a iniciativa trouxe ações nas áreas sociais e ambientais.

Representando a União das Indústrias de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (UNICA) seu diretor, Antonio Padua Rodrigues, lembrou que o Protocolo trouxe mudanças muito grandes a partir de 2007.

LEIA MAIS > Embraer completa teste de voo utilizando 100% de combustível sustentável

Para a diretora da Cetesb, Patrícia Iglesias, o ‘Etanol Mais Verde’, trouxe avanços por meio do licenciamento, porque direciona ações importantes para impactos agrícolas, plantio, processamento da cana, além de aspectos industriais. “Sustentabilidade é eficiência e o Protocolo Agroambiental trouxe essa eficiência para o setor agrícola”, observou.

Ao final da solenidade foram entregues certificados de agradecimentos às empresas signatárias como forma de reconhecer a parceria e de fazer parte dessa história.

 

 

Etanol Mais Verde