“Esperamos mais venda de energia de biomassa de cana em 2020”, diz executivo da UNICA

Expectativa de negócios está em torno dos leilões regulados

Os leilões regulados de 2020 são a aposta para a energia elétrica produzida a partir da biomassa da cana-de-açúcar.

“Esperamos que a bioeletricidade possa comercializar ainda mais energia nos leilões regulados, comparativamente a 2019”, diz Zilmar de Souza, gerente de bioeletricidade da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

Essa expectativa, emenda, é avaliada com preços remuneradores e um modelo de contratação que possa caminhar para incorporar as externalidades positivas da bioeletricidade.

“E também as características de cada projeto (retrofit; greenfield; aproveitamento da palha e bagaço; geração de biogás etc.)”, afirma ele.

Leia também: 

Primeiro leilão de compra de energia nova de 2020 está previsto para maio

 

Melhora em 2019

A contratação de bioeletricidade nos leilões regulados, promovidos pelo Governo Federal, registrou melhora em 2019 ante o desempenho do ano anterior.

Ao longo de 2019, a gerência de bioeletricidade da UNICA confirma venda de 77 megawatts médios (MWM) nesses leilões.

Souza, gerente de bioeletricidade da UNICA: expectativas

“É uma performance ainda bem distante da média anual de comercialização pelo setor (110 MW médios)”, destaca Souza.

“[A performance também está longe] do próprio potencial do setor, porém foi o melhor desempenho nos leilões regulados desde 2015.”

 

 

 

Venda de bioeletricidade nos leilões regulados: 

Fonte: UNICA

Pior ano

O ano de 2018, segundo Souza, foi o terceiro pior ano de contratação de novos projetos nos leilões regulados, desde sua implantação em 2005.

Em todo 2018 a bioeletricidade vendeu apenas 27 MW médios nos leilões.

Biomassa de canaenergia elétricaLeilões reguladosUNICAZilmar de Souza
Cometários (0)
Adicione Comentário