Equipamentos WEG reduzem e controlam para 47 % a umidade final na Vale do Paraná

Redutor planetário, motor elétrico e drives são responsáveis por acionarem o terno de secagem de 94"
Conjunto Planetário G3 Full TGM e motor elétrico WEG proporcionam excelentes resultados ao cliente

Os equipamentos fornecidos pela WEG, responsáveis por acionarem o terno de secagem de 94” na moenda da Vale do Paraná, usina do interior de São Paulo que pertence ao grupo Pantaleon, reduziram a umidade final do bagaço de 54% para 47%, assim como obtenção de ganhos importantes em extração. Já no primeiro ano de operação os resultados são notórios para o processo e receita da usina.

O redutor planetário G3 Full TGM e o motor elétrico fornecidos pela WEG entraram em operação nessa safra para acionar o terno de secagem e permitir que este trabalhe com maior eficiência e melhor controle de umidade, extração e, ainda, aumento de moagem (difusor). A experiência da TGM, empresa do Grupo WEG, como um dos maiores fabricantes de redutores para moendas no mundo e a integração com a WEG possibilitou uma das melhores configurações de acionamento já vista no mercado.

LEIA MAIS > WEG organiza ciclo de palestras online para o setor sucroenergético

A especificação técnica dos equipamentos favoreceu importantes resultados na operação da planta e sua escolha aconteceu conforme estratégia de redução na manutenção ao longo do tempo, melhor balanço energético, aumento da eficiência global da usina e, obviamente, melhor tempo de retorno de investimento. Além disso, a instalação de uma solução com elevada segurança operacional fez toda a diferença na seleção dos equipamentos WEG.

Vanderlei Florencio, da WEG

“A instalação do novo sistema corrigiu consideravelmente problemas que tínhamos com o controle de umidade e ultrapassando 98% de extração, além de proporcionar uma operação muito estável e simples, resultando em uma excelente redução de manutenção na nossa unidade, diminuindo o tempo de investimento”, explicou Vanderlei Florencio, coordenador de manutenção industrial na moenda onde foram instalados os equipamentos da WEG.

Lucratividade e a gestão da manutenção planejada na entressafra

 “Tempo é dinheiro”, já dizia Benjamim Franklin, e nas paradas programadas isso é ainda mais evidente. Em um ambiente cada vez mais competitivo e em constante mudança, uma ótima gestão da manutenção, flexibilidade e conhecimento, são imprescindíveis. A compra planejada, ou seja, aquisição antecipada de peças e serviços de manutenção possibilita agilidade no atendimento e viabiliza a entrega dos equipamentos nos prazos estabelecidos  com garantia da qualidade, desde a desmontagem até os testes de comissionamento.

Os principais benefícios de uma Manutenção Planejada são: confiabilidade operacional, redução de custos, menor tempo na montagem em campo, melhoria na eficiência das máquinas, contribuindo substancialmente na melhoria continuada da qualidade e segurança e aumento da disponibilidade nas turbinas, redutores, geradores e motores de médio e grande porte.

LEIA MAIS > Usina 4.0: conheça as tendências e inovações em instrumentação e automação

As boas práticas de fabricação, manutenção e revisão são frequentes na TGM, visando extrair o máximo de aproveitamento e disponibilidade operacional de cada equipamento tanto TGM quanto em equipamentos de outras marcas.

Ressaltando o seu compromisso, a TGM já iniciou o planejamento para os serviços de entressafra 20/21 buscando promover um atendimento diferenciado e entregar total confiabilidade nos trabalhos prestados para elevar os níveis de lucratividade das usinas na safra 2021. Com base em sua experiência global e de décadas, a TGM possibilita uma parada programada eficiente, com serviços de prevenção, recuperação, modernização e substituição de peças, aumentando a vida útil dos equipamentos, lucratividade e confiabilidade de sua empresa.

Esta matéria é integrante da edição 319 do JornalCana. Confira:

JornalCana Setembro 2020

 

 

Grupo PantaleonTMGturbinasusinasVale do ParanáWEG
Cometários (0)
Adicione Comentário