CRV Industrial estima moer 1,8 milhão de toneladas de cana na safra 21/22

Volume representa 5,2% a mais do que foi processado no ciclo passado

A CRV Industrial, usina localizada em Carmo do Rio Verde (GO), iniciou a safra 21/22 no último dia 8 de abril com a expectativa de moer 1,8 milhão de toneladas de cana-de-açúcar.

O volume representa 5,2% a mais do que foi processado no ciclo 20/21 quando a companhia esmagou 1,76 milhão de toneladas. A unidade produz etanol anidro e hidratado, açúcar e gera energia a partir de resíduos da cana para o autoconsumo.

Para evitar aglomeração e continuar mantendo os cuidados de prevenção ao coronavírus, a cerimônia de abertura da safra foi simbólica, com um ato ecumênico, transmitido pelas redes sociais da unidade.

O evento contou com a participação do padre Rafael T. Gonçalves e do reverendo Adiel Ferreira. Ambos pontuaram a importância econômica da usina para a região, pois emprega diretamente 1.811 colaboradores, além de 5.433 indiretos, e pediram uma safra de muita proteção e de bons frutos. Também contou com a participação da equipe de Louvor da Paróquia Nossa Senhora do Carmo.

LEIA MAIS >CEO conta como usina alagoana bateu recorde histórico de moagem

Durante a cerimônia, Paula Morais, filha de Paulo Fernando Cavalcanti de Morais, um dos fundadores da usina, que faleceu no último mês de março., fez uma homenagem ao pai. Ela lembrou a história de toda a família e as conquistas de Morais, agradecendo aos irmãos e ao primo que dão continuidade ao legado.

Para manter a segurança em relação à Covid-19, a usina segue adotando medidas rigorosas de prevenção exigidas e recomendados pelo Ministério da Saúde, iniciativa tomada desde o início da pandemia, no ano passado. Por isso, é obrigatório o uso de máscaras e é proibida a aglomeração de pessoas. O uso de álcool 70% e a aferição de temperatura de todos que acessam a empresa é uma rotina diária. A limpeza dos ambientes da usina foi reforçada. E no transporte para o campo houve aumento da quantidade de ônibus.

Além disso, para que os profissionais sempre exerçam as suas funções com mais segurança e qualidade, a usina desenvolveu diversas capacitações, sendo que grande parte delas realizadas no período de entressafra. Ao todo, foram 150 cursos que somaram 15.602 horas, oferecidos aos colaboradores do campo e da indústria.

A unidade conta também com o programa Jovens Aprendizes, uma estratégia que possibilita o acesso a um primeiro emprego para os jovens e possibilita desenvolver novos profissionais para exercerem funções na companhia.

COVID-19CRV IndustrialUsina
Cometários (0)
Adicione Comentário