Copersucar mais que dobra lucro líquido na safra 2021/22

Companhia ampliou plataforma integrada de negócios na última temporada

Com a Alvean pela primeira vez constando das suas demonstrações financeiras, a Copersucar apresentou faturamento de R$ 75,1 bilhões (vs. R$38,7 bilhões na safra 2020/21) e R$ 781 milhões de lucro líquido (vs. R$375 milhões) na safra 2021/22, com o endividamento consolidado do grupo zerado (líquido de caixa e estoques), frente a R$ 1,25 bilhão no ciclo anterior.

“Consolidamos a nossa liderança no mercado de açúcar, assumindo 100% do controle acionário da Alvean, criamos a maior comercializadora de etanol do Brasil, em parceria com a Vibra Energia, ampliamos as operações de etanol da Eco-Energy nos Estados Unidos, com a construção de mais dois terminais de distribuição, e ampliamos a escala de acesso à produção de cana-de-açúcar no Brasil pela Copersucar, que passa a contar com 36 usinas sócias a partir da safra 2022-23”, ressalta Luís Roberto Pogetti, presidente do Conselho de Administração da Copersucar.

LEIA MAIS > Limite de ICMS pode aumentar a porcentagem do mix de produção de açúcar

“O desempenho na safra consolida a estratégia desenhada há mais de uma década pela companhia para conectar o campo ao mundo, a partir de um modelo de negócios único, que gera valor por meio de parcerias estratégicas e soluções inovadoras. A empresa está fortalecida para empreender em novos negócios e parcerias e reforçar sua relação com usinas produtoras”, comenta Tomás Caetano Manzano, presidente da Copersucar.

Manzano ressalta que a Alvean concluiu a sua primeira safra completa controlada 100% pela Copersucar, mantendo a liderança no mercado internacional de açúcar, tendo ainda contribuído de maneira relevante para o desempenho financeiro do grupo, juntamente com a Eco-Energy.

Com a comercializadora de etanol em parceria com a Vibra Energia, plataforma aberta que irá integrar produtores, distribuidores e demais agentes da cadeia, a companhia reforça seu compromisso com a sustentabilidade. A empresa nasce como a maior do Brasil, sendo responsável pela comercialização independente de mais de 9 bilhões de litros de etanol por ano.

LEIA MAIS > BNDES financia quatro usinas de biomassa no Norte do Brasil

“Esses movimentos realizados tanto nos negócios de etanol quanto de açúcar fortalecem o core business da empresa e seu posicionamento como uma plataforma integrada e global, preparada para gerar valor em todos os segmentos em que atua”, completa Manzano.

No setor de açúcar, a plataforma da Copersucar movimentou mais de 12 milhões de toneladas do produto no mercado internacional, com a Alvean mantendo a sua liderança global, atuando em mais de 40 países. No mercado doméstico, a Copersucar ganhou participação, passando de 19% para 25%, comercializando 2,1 milhões de toneladas.

Tomás Caetano Manzano

Com relação ao etanol, a plataforma Copersucar comercializou mais de 10 bilhões de litros do biocombustível no mercado global, sendo cerca de 4 bilhões de litros no Brasil e 6 bilhões de litros no mercado americano, por meio da Eco-Energy, que na safra ampliou a sua estrutura logística, com a construção de um terminal em Phoenix (Arizona) e início das obras do terminal em Stockton (Califórnia), totalizando 11 terminais próprios.

A logística da Copersucar operou mais uma safra com plena utilização da capacidade instalada do Terminal Açucareiro Copersucar (TAC), localizado no Porto de Santos, totalizando 8,7 milhões de toneladas de vendas de serviços de elevação.

LEIA MAIS > BSBIOS investe na primeira usina de etanol de grande escala do Rio Grande do Sul

Destaque no período para a execução pelo TAC do maior carregamento de açúcar em um único navio já registrado no Brasil, com 109 mil toneladas embarcadas no graneleiro Cape Town, com destino à China.

Com maior eficiência, a plataforma transportou a maior parte dos seus volumes de açúcar pelo modal ferroviário, representando 59% das operações, promovendo redução relevante das emissões de gases de efeito estufa.

Na safra 2021-22, o investimento total consolidado da Copersucar foi de R$1 bilhão frente aos R$135 milhões da safra anterior, destinados principalmente para a aquisição do controle de 100% da participação acionária da Alvean; a expansão da base de terminais de etanol nos EUA; os aportes de capital para a construção do novo trecho de dutos da Logum; e a manutenção geral dos terminais de logística de açúcar no Brasil.

Como estratégia financeira, num contexto de escalada da taxa de juros do Brasil, Selic de 2,75% no início do período para 11,75% no fim do período, a companhia otimizou seu portfólio de endividamento, com o objetivo de alongar o perfil dos vencimentos e reduzir custos para a safra 2022-23, além de uma eficiente gestão de aplicação do caixa (colchão de liquidez).

LEIA MAIS > Netafim promove curso de Irrigação por Gotejamento

A companhia foi líder no mercado de créditos de descarbonização (CBios), ofertando 9 milhões de títulos em dois anos, o que representa 16% de todas as escriturações (etanol e biodiesel) realizadas no RenovaBio entre abril de 2020 e março de 2022. O resultado evitou a emissão de 9 milhões de toneladas de CO2eq, volume que equivale ao trabalho de captura de 63 milhões de árvores crescendo por 20 anos.

Atualmente, as usinas sócias da Copersucar têm eficiência energética-ambiental 3,4% superior ao registrado pela média do conjunto de usinas certificadas no RenovaBio e no último ciclo oito delas apresentaram evolução de até 25% em suas notas no Programa. Mesmo com este desempenho, o plano é seguir reduzindo a intensidade de carbono da cadeia de valor, ampliando seu diferencial em relação ao mercado.

LEIA MAIS > Raízen investe em agricultura digital e amplia áreas monitoradas com o uso de drones

Ainda com foco na redução das emissões de gases de efeito estufa na cadeia em sua cadeia de valor, a Copersucar, e suas usinas sócias instituíram o grupo de trabalho permanente responsável pelo “Projeto Horizonte mais Verde menos CO2”, que pretende reduzir ainda mais a pegada de carbono do ecossistema da empresa.

 

 

AçúcarAlveancopersucarEco-Energyetanol